Clowns de Shakespeare se lança para o futuro

Publicação: 2018-11-24 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Ramon Ribeiro
Repórter

Como estará o mundo daqui a 25 anos? E o Brasil? E o Teatro? Esse exercício de imaginação tem sido feito desde o início de 2018 pelo grupo Clowns de Shakespeare. E não é por acaso. O grupo está completando justamente 25 anos de trajetória. Por causa desse momento de celebração – que vem cheio de reflexões – o Clowns se propôs olhar pra frente projetando um Brasil do ano de 2043.

A imagem dos25 anos revela um Clowns de Shakespeare renovado. Fernando Yamamoto e Renata Kaiser são os únicos integrantes que permanecem desde a fundação. Completam  Camile Carvalho, Diogo Spinelli, Dudu Galvão e Paula Queiroz
A imagem dos25 anos revela um Clowns de Shakespeare renovado. Fernando Yamamoto e Renata Kaiser são os únicos integrantes que permanecem desde a fundação. Completam Camile Carvalho, Diogo Spinelli, Dudu Galvão e Paula Queiroz

O resultado desse exercício de imaginação poderá ser visto no palco, a partir deste final de semana, quando o grupo estreia a primeira parte de seu novo trabalho denominado  “Tubo de Ensaio A: Saturação”. As apresentações acontecem no sábado (24), às 20h, e domingo (25), às 19h, no Barracão Clowns (Morro Branco). Na próxima semana, nos dias 1º e 2 de dezembro, o público poderá conferir a segunda parte do trabalho, cujo título é “Tubo de Ensaio B: Essência”.

Para o espetáculo, o Clowns convidou 25 dramaturgos e artistas teatrais para escreverem cenas curtas sobre como cada um imagina o mundo em 2043. Entre eles, Jô Bilac, Pablo Capistrano, Bruno Pernambuco, Eduardo Moreira, entre outros. “É algo difícil projetar o que está por vir. É uma questão muito abrangente. Ao invés de fechar, nós abrimos. Convidamos gente que já trabalhou com o grupo, dramaturgos próximo e gente que queríamos nos aproximar”, comenta Fernando Yamamoto, que assina a direção geral. O espetáculo foi escrito a partir dos textos recebidos e trabalhados na sala de ensaio.

“Foram criadas muitas cenas com linguagens distintas. No título a gente já joga com isso. A primeira parte do espetáculo tem uma linguagem mais saturada, de excesso. A segunda é mais minimalista. As duas partes do espetáculos funcionam de forma independentes, mas há complementariedade entre elas. Uma é quase o negativo da outra”, conta o diretor, citando também um ponto de convergência importante. “Vimos que quando a gente fala de 2043 a gente está falando de 2018. E o momento atual não é bom. Por isso a maioria dos textos que recebemos tem o caráter distópico. Tem a ver com o momento de agora. Mas o distópico é abordado por uma via de resistência, de esperança. Isso chamou nossa atenção”.

Para o conceito cenográfico da parte A, o grupo contou com a colaboração dos artistas Flávio Freitas, Pablo Pinheiro, José Veríssimo e o Coletivo Aboio, que criaram painéis seguindo a mesma reflexão proposta aos dramaturgos. No final das apresentações será aberta uma roda de conversa para o grupo absorver um pouco das impressões do público. De acordo com o diretor, a ideia é continuar a montagem do trabalho no ano seguinte.

“Esse é nosso primeiro grande processo depois da reorganização que passamos”, diz Yamamoto, que junto com a atriz Renata Kaiser, são os únicos integrantes que permanecem desde a fundação do grupo. Além de Renata, o elenco atual é formado por Camile Carvalho, Diogo Spinelli, Dudu Galvão e Paula Queiroz.

Conceito cenográfico do espetáculo conta com paineis criados por quatro artistas: Pablo Pinheiro (autor do painel da foto), Flávio Freitas, José Veríssimo e o Coletivo Aboio
Conceito cenográfico do espetáculo conta com painéis criados por quatro artistas: Pablo Pinheiro (autor do painel da foto), Flávio Freitas, José Veríssimo e o Coletivo Aboio

Para o diretor, o momento agora é de celebrar as conquistas dos 25 anos de trajetória do Clowns de Shakespeare, mas de sem perder a força de vontade para continuar existindo e passando por cima das precariedades. “Acho um milagre chegar até aqui. Apesar de todas as dificuldades, somos um grupo de reconhecimento nacional e trajetória internacional em curso. Sobreviver de teatro, teatro com rigor, fora dos centros, até dos centros do Nordeste, é algo que nos dá muito orgulho”, afirma Yamamoto.

Programação
Após a estreia das duas partes do novo espetáculo, a comemoração dos vinte e cinco anos dos Clowns de Shakespeare continuam com a residência artística do contador de histórias François Möise Bamba, de Burkina Faso. O artista burquinense leva para o Barracão uma oficina sobre oralidade como base para a educação, que irá ocorrer nos dias 08 e 09 de dezembro. François também apresenta seu espetáculo “Contos Tradicionais de Burkina Faso” no dia 08. 

No período de 10 a 14 de dezembro é a vez do Clowns oferecer suas tradicionais oficinas de férias. Serão cinco dias de atividades em que vão acontecer duas oficinas. A primeira,” Oficina Faz de Conta”, voltada para crianças de 07 a 11 anos, será realizada pela manhã. Já a outra, “Oficina de Iniciação Teatral”, voltada para jovens e adultos a partir de 16 anos, será realizada no período da noite.

Finalizando os festejos, o Barracão Clowns recebe no dia 15 de dezembro os dois espetáculos recém estreados do Grupo Facetas, Mutretas e Outras Histórias. Às 16h entra em cena o infantil “Sal, menino mar”. Já à noite, às 20h, é a vez do adulto “A jornada de um imbecil até o entendimento”.

Programação
“Tubo de Ensaio A: Saturação”

Dias 24/11 (às 20h) e 25/11 (às 19h) | Ingressos: R$30 (inteira) e R$15 (meia)

“Tubo de Ensaio B: Essência”

Dias 1º (às 20h) e 2 (às 18h e 20h) | Ingressos: R$30 (inteira)  e R$15 (meia)

“Contos Tradicionais de Burkina Faso”

Dia 08 (às 20h) | Ingressos: R$30 (inteira) e R$15 (meia)

Oficina “A oralidade como base para a educação”

Dias 08 e 09/12, das 09h às 13h.

Inscrições: R$100

Oficina “Faz de Conta” (para crianças de 07 a 11 anos)

De 10 a 14/12, das 09h às 12h

Inscrições: R$250

Oficina “Iniciação Teatral” (a partir de 16 anos)

De 10 a 14/12, das 18h30 às 21h

Inscrições: R$150

Espetáculo “Sal, menino mar”,  do grupo Facetas, Mutretas e Outras Histórias

Dia 15/12, às 16h | Ingressos: R$30 (inteira) e R$15 (meia).

Espetáculo “A jornada de um imbecil até o entendimento”, do grupo Facetas, Mutretas e Outras Histórias

Dia 15/12, às 20h | Ingressos: R$30 (inteira) e R$15 (meia).

Barracão Clowns fica na Avenida Amintas Barros, 4661 em Nova Descoberta.

Mais informações pelo telefone: 3221-1816.



continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários