Clube admite que a dívida se aproxima de R$ 1 bilhão

Publicação: 2020-05-22 00:00:00
A+ A-
Belo Horizonte (AE) - O Cruzeiro divulgou o balanço financeiro de 2019, último ano da gestão de Wagner Pires de Sá, que renunciou ao cargo pouco depois do rebaixamento da equipe à Série B do Campeonato Brasileiro. E o déficit do clube no ano passado foi de R$ 394.100.974. O resultado negativo de 2018, após revisão do balanço, havia sido de R$ 73 milhões.

Créditos: REPRODUÇO INTERNETDesde o ano passado que os torcedores protestam contra resultados e má gestão no CruzeiroDesde o ano passado que os torcedores protestam contra resultados e má gestão no Cruzeiro


O impressionante prejuízo elevou a dívida do Cruzeiro para R$ 803.486.208, de acordo com o documento. O passivo circulante do clube, as dívidas que precisam ser pagas em um ano, é de R$ 682 034.508, com R$ 207.269.643 sendo não circulantes. A equipe, porém, tem R$ 72.560.830 em receita a apropriar circulante, R$ 12.608.455 em receitas futuras, e R$ 648.658 em caixa e equivalentes.

O Cruzeiro apresentou queda nas suas receitas, em 2019, para R$ 280.799.767, contra os R$ 329.118.994 do exercício anterior. Desse montante, conseguiu R$ 108 milhões com a negociação de direitos econômicos de atletas. Entre as suas principais fontes de renda, essa foi a única aumentar no ano passado.

O clube também arrecadou R$ 105,7 milhões com os direitos de transmissão, mas apenas R$ 18 milhões com patrocinadores e R$ 18,3 milhões com a bilheteria dos seus jogos. E obteve R$ 14,1 milhões com o seu programa de sócio-torcedor.

Em seus gastos, o Cruzeiro aponta despesas operacionais de R$ 71 690.833, um aumento de R$ 29,3 milhões em relação ao ano anterior. Para isso, pesou o aumento dos gastos administrativos, que foram de R$ 47.053.028, quase R$ 24 milhões a mais do que 2018. O Cruzeiro gastou R$ 62.612.015 em obrigações trabalhistas, incluindo salários - R$ 50,4 milhões -, mais do que o dobro no comparativo ao ano anterior.

Também chama a atenção as dívidas com clubes estrangeiros, que chegaram aos R$ 85.165.714. Uma delas, com o Al-Wahda, dos Emirados Árabes Unidos, levou o clube a perder seis pontos na próxima edição da Série B do Campeonato Brasileiro, em punição imposta pela Fifa nesta semana.







Deixe seu comentário!

Comentários