Coleta de lixo na cidade deve ser retomada hoje

Publicação: 2012-12-28 00:00:00
A coleta de lixo na cidade deve ser retomada nesta sexta-feira. A Prefeitura realizou o repasse de R$ 820 mil para a empresa Líder (responsável pela coleta da zona Oeste), em cumprimento a determinação judicial. O valor é referente ao pagamento do salário de novembro e da segunda parcela do 13º salário, que deveria ter sido feito no último dia 14, aos cerca de 200 garis terceirizados. A cada dia sem coleta, 750 toneladas de lixo se acumulam pelas ruas de capital.
Ontem, a estação de transbordo acumulava uma quantidade significativa de lixo
A Prefeitura ainda espera a transferência, por parte do Governo do Estado, de R$ 1,8 milhão, referente a dívida da taxa de limpeza pública, para quitação de outras dívidas. A previsão é que a Secretaria Estadual de Planejamento realize o depósito somente hoje, segundo informações da Secretaria de Comunicação do Estado.

A empresa Líder retomou aos poucos a atividade, durante o dia de ontem. Dos sete coletores, apenas quatro estavam nas ruas.“Como o repasse só foi feito hoje, apenas amanhã é que iremos pagar aos funcionários, quando está programada o retorno completo das atividades dos garis”, disse o superintendente da Líder, Max Alexandre. A dívida junto a empresa, lembra o executivo, “chega a R$ 11 milhões”.

De acordo com a Urbana, a prefeitura deve hoje cerca de R$ 23 milhões para a Marquise, R$ 4,7 milhões para a Líder, e R$ 4 milhões para a Trópicos. “As demais empresas não paralisaram as atividades. Esperamos a retomada, mas a normalização da limpeza da cidade deve demorar muito para acontecer”, observa o presidente do Sindlimp, Wilson Duarte.

O repasse dos R$ 1,8 milhão é uma das alternativas para que o Município impeça o bloqueio dos recursos da conta única e possa quitar os débitos da Companhia de Limpeza Urbana (Urbana) junto as empresas terceirizadas. Ontem, a Prefeitura, por meio da Procuradoria Geral do Município (PGM), foi notificada para em até 72 horas prestar informações acerca do pedido do bloqueio de recursos, impetrado pela Urbana, no  último dia 20. “O que temos de concreto é que a Prefeitura está negociando. E esperamos antes do término do prazo (72 horas) conseguirmos os recursos para resolver a situação junto as terceirizadas”, disse o procurador-geral do Município, Francisco Wilkie Rebouças. A PGM também busca junto à Justiça do Trabalho autorização para o desbloqueio de R$ 3 milhões que tem a receber da empresa Marca.
Na cidade, o lixo invade as ruas e gera transtorno no tráfego
João Bosco não retornou as ligações. Durante coletiva de imprensa na última quarta-feira, justificou o pedido ao afirmar que os R$ 5 milhões  que deveriam ser repassados mensalmente à Urbana pela administração municipal, não chegou aos cofres da instituição, o que comprometeu o andamento da coleta de lixo em toda a cidade. Segundo ele, apenas R$ 250 mil desse montante foram repassados.

Na estação de transbordo em Cidade Nova, zona Oeste da cidade, era intenso o movimento de caminhões das empresas Líder e Marquise, na tarde de ontem. Nem a empresa e assessoria de imprensa souberam informar com precisão qual o volume de lixo acumulado no local.

Para esta sexta-feira está programada, com divulgação por meio das redes e mídias sociais, a movimentação #Marchadolixo, que deverá levar o lixo das residências e ruas da cidade para as portas do Palácio Felipe camarão, sede da Prefeitura Municipal do Natal. O protesto ocorre em face ao abandono que toma conta da cidade, já que desde segunda-feira, 24, a coleta de lixo parou de ser efetuada pelas empresas terceirizadas responsáveis pelo serviço. Diariamente o montante que deixou de ser coletado chega a 3 milhões de quilos de lixo.