Com as chuvas, pequenos agricultores começam a preparar seus roçados

Publicação: 2020-02-15 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Agricultores do Rio Grande do Norte das regiões onde as chuvas já mudaram a situação do solo, já começaram a plantar. Na região Agreste, mesmo com chuvas tímidas, já que a partir de maio é que se intensificam, alguns já começam a preparar o roçado na esperança de bom inverno.

Créditos: Magnus NascimentoAs precipitações da segunda quinzena de fevereiro e início de março são primordiais para o plantio. Agricultores se preparam esperando a consolidação das chuvas para as plantaçõesAs precipitações da segunda quinzena de fevereiro e início de março são primordiais para o plantio. Agricultores se preparam esperando a consolidação das chuvas para as plantações


O Programa Banco de Sementes 2020 começou a distribuir sementes de feijão, milho e sorgo forrageiro para os agricultores cadastrados. A distribuição coordenada pela  Secretaria Estadual da Agricultura, da Pecuária e da Pesca (Sape), com apoio do Instituto de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater), começou nos dias 4 e 5 de fevereiro pelas regiões Oeste e Alto Oeste do Estado, onde as chuvas chegam primeiro no Estado. O Governo do RN distribui as sementes de forma escalonada, em consonância com o período de chuvas de cada região. Como a previsão deste ano oscila entre “normal” e “acima do normal”, conforme dados da gerência de meteorologia da Empresa de Pesquisa Agropecuária do RN (Emparn), a expectativa é de boa safra para quem fizer o plantio até a primeira semana de março.

Nessa primeira etapa de distribuição foram abastecidos os bancos de sementes das regionais Mossoró, Pau dos Ferros, Umarizal e Assu, com um total de 253,4 toneladas – sendo 71ton de feijão, 113ton de milho e 69ton de sorgo. O RN conta com 1.614 bancos de sementes, distribuídos por 159 municípios, que atendem 52.565 agricultores cadastrados pela Emater em dez regionais. As sementes de milho, feijão e sorgo, destinadas à agricultura de subsistência e forragem animal, são adaptadas às condições do Semiárido.

O coordenador de Agropecuária da Sape que também conduz o Programa Bancos de Sementes, Antônio Carlos Magalhães, explicou que a distribuição “sempre inicia pelas regionais de Pau dos Ferros, Umarizal, Mossoró e Assu, regiões onde tradicionalmente começa a quadra chuvosa no RN. Em parceria com a Emparn, trabalhamos para que as sementes cheguem no período correto e o agricultor plante na hora certa para que possa ter uma boa colheita. As perspectivas para a safra de 2020 são muito boas, e em praticamente todas as regiões do Estado os agricultores já estão preparando o solo para o plantio”, avaliou o gestor.

Para o secretário Estadual da Agricultura, da Pecuária e da Pesca, Guilherme Saldanha, “as sementes chegam ao agricultor no momento certo, para que ele possa cultivar seu roçado, manter seu rebanho e ainda comercializar excedentes”.

Gilmar Bristot, gerente de meteorologia da Emparn, ressalta que o período entre a segunda quinzena de fevereiro e o início de março “é definitivo para o agricultor plantar em condições normais de germinação e crescimento. O momento ideal de semear, principalmente nas regiões Oeste, Central e Seridó, onde só há uma janela propícia para o plantio por ano”. Ele esclarece que nas regiões Agreste e Litoral Leste, com chuvas mais concentradas entre abril e agosto, “o agricultor tem maior flexibilidade no período de cultivo”.

Bristot também adiantou que as previsões de chuvas em 2020 para o RN serão reforçadas durante a 3ª Reunião de Análise Climática para o Semiárido Nordestino, que acontece nessa próxima terça-feira (18) na sede da Emparn em Parnamirim. Na ocasião estarão reunidos pesquisadores e especialistas dos centros de meteorologia da Paraíba, Pernambuco, Alagoas, e do Instituto Nacional de Meteorologia do Distrito Federal. Outros centros da região Nordeste também vão participar via videoconferência.

“A expectativa é que seja mantida a previsão divulgada em janeiro, com chuvas dentro do normal ou acima do normal para o período de março a maio de 2020”, comentou Gilmar. O prognóstico é que a média pluviométrica deste ano fique entre 800 e 1200 milímetros – em 2019 essa média ficou em 840mm.

O gerente de meteorologia da Emparn lembrou que o órgão desenvolveu um sistema automatizado para previsão e zoneamento, capaz de orientar os agricultores potiguares sobre o melhor período para cultivar a terra. “Faltam computadores de alto desempenho para rodar os modelos meteorológicos, espero que em 2021 possamos contar com esse monitoramento de forma automática”.

Governo distribui sementes crioulas em 36 municípios
O Governo do Rio Grande do Norte distribuiu pela primeira vez  sementes crioulas para agricultores potiguares: foram distribuídas 50 toneladas de sementes de milho, feijão, sorgo, castanha de caju, fava e arroz vermelho para cerca de três mil agricultores familiares, comunidades indígenas e rurais, e acampamentos da reforma agrária em 36 municípios do Estado. Sementes crioulas, também chamadas de sementes de variedade local ou tradicional, são caracterizadas pela grande diversidade genética e por estarem adaptadas ao solo da região onde são cultivadas – geralmente são conservadas e manejadas pelos próprios agricultores familiares, quilombolas, indígenas e outros povos tradicionais.

O Programa Estadual de Sementes Crioulas foi lançado em 2019, e atualmente é considerado o maior do Brasil. A distribuição foi coordenada pela Secretaria Estadual do Desenvolvimento Rural e da Agricultura Familiar (Sedraf), e aconteceu no dia 31 de janeiro na Universidade Federal Rural do Semiárido (Ufersa) em Mossoró. “Nenhum estado fez uma compra de sementes crioulas tão grande e com tanta variedade como o RN”, afirmou Alexandre Lima, titular da Sedraf.

A iniciativa, segundo Lima, visa estimular a produção de alimentos saudáveis, combater a pobreza e promover a segurança alimentar e nutricional, além de fortalecer a agricultura familiar por meio da compra direta de sementes e distribuição – também resgata a valorização das sementes crioulas.

Foram investidos cerca de R$ 600 mil reais na ação, provenientes da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). O programa está sendo executado em parceria com o Instituto de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater-RN), a Articulação no Semiárido Brasileiro Potiguar (Asa Potiguar), Cooperativa Central da Agricultura Familiar do RN (Cooafarn), Fundação Nacional do Índio (Funai) e a Universidade Federal Rural do Semiárido (Ufersa).

“Outro diferencial do programa é que o Governo do Estado comprou as sementes de um grupo formado por 41 famílias de agricultores familiares do RN para distribuir aos beneficiários. Isso é algo inédito”, valorizou o secretário Estadual do Desenvolvimento Rural e da Agricultura Familiar. As sementes fornecidas passaram por um controle de qualidade do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e estão, inclusive, isentas de transgênicos.

Foram contemplados agricultores nos municípios de Areia Branca, Assu, Grossos, Mossoró, Serra do Mel, Tibau, Apodi, Campo Grande, Caraúbas, Felipe Guerra, Janduís, Olho D´água dos Borges, Paraú, Patu, Rafael Godeiro, Severiano Melo, Umarizal, Upanema, Portalegre, São Miguel, João Câmara, Parazinho, Pureza, São Miguel do Gostoso, Messias Targino, São Francisco do Oeste, Rafael Fernandes, Jandaíra, Bento Fernandes, Poço Branco, Caiçara do Norte, Taipu, São Bento do Norte, Santa Cruz, Lajes Pintada e Touros.

Números
253,4 toneladas de sementes foram distribuídas na primeira etapa do Banco de Sementes 2020 no RN

71 toneladas de sementes de feijão, 113ton de milho e 69ton de sorgo foram distribuídas para agricultores de quatro regionais: Mossoró, Pau dos Ferros, Umarizal e Assu

1.614 é a quantidade de bancos de sementes espalhados no Estado

52.565 agricultores são beneficiados pelo Programa

Sementes crioulas
50 toneladas de sementes crioulas foram distribuídas pela primeira vez no RN

3 mil famílias de agricultores familiares, comunidades indígenas e rurais, e acampamentos da reforma agrária foram beneficiadas

36 municípios do RN receberam sementes crioulas para cultivo











Deixe seu comentário!

Comentários