Com retomada gradual, atividades esportivas se preparam para volta

Publicação: 2020-07-12 00:00:00
Com a segunda fase do relaxamento do isolamento social passando a valer a partir do próximo dia 15, o governo do RN decidiu liberar os esportes realizados em ambientes abertos. Com isso, vão voltar a funcionar as academias de crossfit e os grupos de corrida. Dois representantes desses setores falaram com a Tribuna do Norte sobre como conseguiram se manter ativos após um período superior a cem dias de inatividade. Ambos relatam situações de sofrimento e muitas perdas, mas esperam recuperar aquilo que foi perdido mais adiante.

O primeiro caso é o do grupo de corridas Go Runners, que no próximo mês de novembro irá completar 10 danos em atividade na capital potiguar, onde foi fundada pelo educador físico gaúcho Fabiano Pezzi, que há 17 anos reside em Natal. Ele disse que perdeu metade dos alunos e sente no pessoal que pratica corridas de rua, um receio muito grande em retornar.

O grupo com raízes potiguar, também está se estabelecendo em João Pessoa-PB, onde vem realizando atividades com 27 pessoas. No RN, onde chegou a possuir em torno de 150 participantes, o Go Runners vai retomar as atividades com 70 alunos, com a realização de uma corrida leve na Via Costeira.

“Nós iremos reabrir, respeitamos as determinações dos órgãos competentes e, agora, no dia 15, a gente vai promover nossa primeira movimentação no período pós-pandemia. Atualmente estamos com 72 atletas em Natal. O grupo é voltado para pessoas entre 20 e 50 anos, com objetivo de fazer exercício ao ar livre e, ao mesmo tempo, se beneficiar do aprendizado da corrida para alguns outros objetivos do tipo: evitar o sedentarismo, ganhar um melhor condicionamento físico ou emagrecer que são os mais comuns”, explicou Pezzi.

O técnico disse que independente do propósito inicial, a maioria dos alunos (que dentro do grupo são tratados por “pupilos”), aos poucos, vão descobrindo que a corrida proporciona novas conquistas a cada novo dia e eles acabam otimizando as conquistas traçadas para a própria vida, conciliando as metas alcançadas nos treinos, com a dos sonhos que desejam conquistar.

A reestreia, de acordo com  Fabiano Pizzi, será repleta de cuidados especiais, no sentido de evitar qualquer risco para os alunos. Todos os cuidados básicos exigidos pelos órgão de saúde do estado, serão observados do primeiro ao último minuto na reunião dos corredores de rua. A orientação é que não retirem suas máscaras, nem para correr.

“Todo mundo terá de chegar de máscara, permanecer e ir embora de máscara também. Na chegada do aluno no ponto de largada ocorrerá a aferição da temperatura corporal, termos álcool para higienização das mãos e ainda terá de ser cumprida a regra  do distanciamento recomendado entre todos os integrantes, que não poderá ser inferior a um metro e meio”, informou. Fora as recomendações, outras ações tomada pela própria direção da Go Runners reforça o cuidado com cada integrante do grupo.

“Nós iremos evitar correr em locais com muita movimentação, por isso vamos evitar levar nosso pessoal para avenida Alexandrino de Alencar. Consideramos o fluxo de pessoas no local muito grande e achamos até uma irresponsabilidade se promover uma concentração daquele porte. Iremos treinar apenas na Via Costeira, sempre pela manhã, ou no Alphaville, em horários alternativos, onde exista pouco fluxo de pessoas se exercitando”, destacou Fabiano Pizzi, que entrevistou os próprios clientes para saber uma forma de oferecer uma maior garantia para o grupo voltar a praticar exercício.

Ingressando na mesma expectativa estão as academias de  crossfit, um dos sócios da Box Natal, Wesley Costa disse que devido ao longo período de inatividade, viu o grupo sofrer um duro golpe uma vez que ele e o irmão Wisly Costa, sócios no empreendimento, foram obrigados a fechar a academia mais rentável, que funcionava na avenida Ayrton Senna e possuía em torno de 170 alunos.   Agora a ordem foi dar alguns passos para traz e recomeçar, mantendo o espaço que funciona no conjunto Cidade Satélite. 

“Enfrentamos um momento muito difícil com a paralisação de tudo. Nós tivemos um prejuízo muito alto, a ponto de fechar a nossa maior unidade em função dos altos custos. A saída foi manter os treinos em casa com cerca de 30% dos alnos que chegamos a ter. Mas vamos procurar dar passos firmes em busca de voltarmos a ser o que éramos antes disso tudo ocorrer”, afirmou Wesley. Com sinal verde para retomar as atividades, os cuidados serão os mesmos existentes nos protocolos das academias e os organizadores da Box Natal esperam contribuir ainda mais para evitar a propagação do coronavírus.

“Existem estudos demonstrando que treinos de leves a moderados impactam positivamente na imunidade do indivíduo, então isso foi o que fizemos nesse período em que tivemos de manter os nossos alunos em atividade em casa. Iremos manter o processo nas três primeiras semanas. Temos condições de oferecer um retorno  seguro, mas quem optar por permanecer em casa, continuará sendo assistido da mesma forma”, frisou Wesley Costa.