Combate à escuridão social

Publicação: 2019-10-20 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Álvaro Dias
Prefeito de Natal

Não há malefício maior para um povo, para uma nação, do que o convívio com a chaga social do analfabetismo. Ela aliena o cidadão e trava a economia de uma região. Ela é inibidora do desenvolvimento e do bem-estar pessoal. É absolutamente intolerável que em pleno século XXI ainda tenhamos que nos deparar com milhares de natalenses necessitando se alfabetizar. Não é possível mais coexistir com quase 50 mil pessoas vivendo na escuridão do analfabetismo em Natal, segundo os últimos levantamentos do IBGE. Por isso mesmo, logo que tomamos posse como Prefeito da cidade, passamos a determinação aos técnicos da Secretaria de Educação para que se iniciasse estudos que apontassem um real diagnóstico sobre a questão em nosso meio. Foi a partir daí que passamos a adotar providências. E hoje já temos um caminho: um programa para reduzir drasticamente o analfabetismo, tendo como prumo sua total erradicação.

O objetivo do programa em seu conceito mais básico será alfabetizar jovens, adultos e idosos com métodos baseados no sistema consagrado pelo mestre Paulo Freire, porém com dinâmicas atualizadas e plenamente adaptadas às exigências do mundo de hoje, época marcada pela velocidade estonteante na aplicação de ferramentas tecnológicas em nossas vidas. Mas não vamos nos limitar somente à questão pedagógica. Queremos ir mais longe no potencial de inclusão do programa. Vamos oferecer também ações específicas para a qualificação profissional e, por consequência, para a inserção no mercado de trabalho. Vamos incentivar também as vocações empreendedoras, oferecendo o suporte educativo inicial e necessário para que as pessoas possam pensar e planejar seus próprios negócios justamente a partir dos novos saberes que estaremos oferecendo.

Em nossa gestão, não nos preocupa apenas o investimento em obras e em infraestrutura. Nossa prioridade, acima de tudo, é o ser humano. É o bem-estar da nossa gente, sua dignidade e sua cidadania. Afinal, não podemos alcançar um nível minimamente desejável de desenvolvimento pessoal, social e intelectual sem educação, pois ela e somente ela é a base da nossa evolução. Por isso, demos o pontapé inicial para impulsionar o crescimento dos participantes deste projeto que implantamos em parceria decisiva com a UFRN e a colaboração de pessoas como os professores Marcos Guerra e Betânia Ramalho, ambos conviveram com Paulo Freire, e com ampla vivência na educação no nosso Estado e nosso país.

Vencer o analfabetismo é derrotar o atraso. É destravar a cegueira que tolhe a vontade e inibe o espírito das pessoas. Como gestores, temos a responsabilidade de enfrentar o problema de forma plena, de frente, com denodo. Este é o espírito do programa que estamos iniciando em Natal de uma maneira muito decisiva. Estaremos acompanhando todo o desenrolar do programa, seus desdobramentos e seus resultados, para que nossa linha de atuação não se afaste em momento algum do que foi planejado. De forma que possamos alcançar verdadeiramente o objetivo de perseguir o fim do analfabetismo, de acabar com essa escuridão imposta às classes sociais desfavorecidas e retirar de vez, esta venda inglória das vistas dos cidadãos natalenses.






continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários