Comitê descarta lockdown no Rio Grande do Norte

Publicação: 2021-03-05 00:00:00
Ricardo Araújo
Editor

O Governo do Rio Grande do Norte anunciará hoje medidas restritivas mais rígidas com o objetivo de mitigar o avanço da pandemia no coronavírus e suas variantes no Estado. O lockdown, que consiste no isolamento social extremo com o fechamento de todos os serviços não essenciais, está descartado. A governadora Fátima Bezerra deverá impor ampliação do toque de recolher em todo o território potiguar, assim como a adoção de restrições maiores relacionadas ao consumo de bebidas alcoólicas e a ampliação da frota de ônibus para o transporte público.

Créditos: DivulgaçãoRicardo Valentim confirmou que a recomendação do lockdown foi discutida entre os cientistas do Comitê, mas logo descartadaRicardo Valentim confirmou que a recomendação do lockdown foi discutida entre os cientistas do Comitê, mas logo descartada

Essas informações foram confirmadas com exclusividade à TRIBUNA DO NORTE pelo cientista Ricardo Valentim, diretor executivo do Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde (LAIS/UFRN) e membro do Comitê Científico da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap/RN). Detalhes como a horário de prorrogação do toque de recolher, por exemplo, só serão divulgados pelo Governo do Estado, o que ocorrerá em coletiva de imprensa nesta sexta-feira (5). 

Ricardo Valentim elencou pontos que integram a lista de recomendações feitas pelo Comitê Científico ao Poder Executivo estadual. Entre elas estão: a ampliação da frota de transporte público em circulação, maior controle de acesso e permanências em ambientes fechados (bares, restaurantes, shoppings centers, templos religiosos e academias de ginástica, por exemplo) e em abertos (parques urbanos, orlas de praias e calçadões). Todas elas com o intuito de evitar aglomerações.

Em entrevista ao Bom Dia RN, da Inter TV Cabugi, na manhã desta sexta-feira, Ricardo Valentim salientou a necessidade de alinhamento entre governos estadual e municipais, a fim de tornar clara as medidas que devem ser cumpridas neste momento. O coordenador diz isso, levando em consideração que municípios têm autonomia de editar decretos e estimular ações diferentes do que é promovido pelo governo estadual, por exemplo. "Ou a população, junto a estados e municípios, se une neste momento ou ainda perderemos ainda mais vidas", afirmou ele.

“A imprensa tem noticiado frequentemente que os ônibus estão lotados. Além disso, há uma recomendação importante  relativa às aglomerações em ambientes abertos e fechados. Nós queremos mitigar as aglomerações”, disse Ricardo Valentim. Ele apontou preocupação com o elevado número diário de novos casos e com a pressão sofrida pelos sistemas público e privado de saúde em razão da alta de internações em leitos clínicos e críticos por pacientes com a covid-19.

Segundo declarou, a pandemia tem como epicentro atual Natal e a Região Metropolitana. É nessa faixa do Rio Grande do Norte que está o maior número de pacientes com perfil de leito crítico inscritos na Plataforma Regula RN. Por volta das 22h dessa quinta-feira (5), existiam 66 pacientes à espera de um leito de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para tratar a covid-19 no Estado. Desses, 65 estavam na Região Metropolitana.  Havia somente 12 leitos disponíveis. “Há uma pressão muito forte por leitos nessa região, que hoje aparece como o epicentro da pandemia”, reforçou Ricardo Valentim.

Questionado sobre a ampliação do toque de recolher, se ela vai ocorrer somente no número de horas a mais em confinamento forçado ou se terá um perfil diferenciado nos finais de semana, Valentim não deu detalhes. “É possível que venha uma ampliação no toque de recolher, mas essa será uma decisão do Governo do Estado”, limitou-se a comentar. 

É esperada, ainda, uma determinação mais dura sobre o consumo de bebidas alcoólicas. Não se sabe, porém, se o Estado irá determinar a suspensão da venda pelos próximos dias ou se irá recomendar a redução do horário de funcionamento de bares e locais que vendem esse tipo de item. Especialistas em todo o mundo defendem que, ao ampliar a ingestão de álcool, o cidadão se preocupa menos com as normas de biossegurança.

Ainda na entrevista ao Bom Dia RN, Ricardo Valentim estimou que o Estado permanecerá com alta na ocupação de leitos pelos próximos 15 dias. "Nós tivemos ontem o segundo maior número de solicitações de internações desde o início da epidemia no Rio Grande do Norte, foram 129 ao todo", informou.
Lockdown
O temido lockdown foi descartado pelos integrantes do Comitê Científico da Sesap. “Foi aventada a questão do lockdown, mas foi descartada. Na verdade, no Brasil nunca houve lockdown como vemos em outros países. Nós não temos condição social para isso. Há uma parte da população que não consegue fazer o isolamento social”, sublinha Ricardo Valentim.

O Governo do Rio Grande do Norte, conforme fontes ouvidas pela TRIBUNA DO NORTE, não irá seguir o exemplo de outros Estados brasileiros com a adoção do isolamento social extremo em razão da situação econômica. O fim do pagamento do Auxílio Emergencial expôs ainda mais fragilidades sociais e econômicas no Estado e a imposição de uma medida considerada drástica, como o lockdown, iria agudizar ainda mais essa situação.

Na coletiva de imprensa prevista para a manhã desta sexta-feira, os representantes do Governo do Estado e do Comitê Científico irão defender o alinhamento dos decretos estaduais e municipais. Será apontada, também, a necessidade do fechamento temporário das escolas privadas em Natal, pois os cientistas receberam informações de adoecimento de professores, trabalhadores da área administrativa e alunos. 

“Hoje, é super importante a suspensão das aulas presenciais nas escolas particulares de Natal por 14 dias”, declarou Ricardo Valentim.  

Palácio dos Esportes ganhará ‘Hospital Dia'
A Secretaria Municipal de Saúde de Natal (SMS Natal) anunciou nessa quinta-feira (4) que irá montar um 'Hospital Dia' dentro do Palácio dos Esportes, na zona Leste, para ampliar a rede de atendimento aos pacientes com suspeita ou sintomas leves da covid-19 e uma sala de emergência para a sintomatologia mais grave. 

O local vai funcionar com até 50 boxes com poltronas e suporte de soro para oferecer atendimento médico rápido e ágil, oferecendo aos pacientes todo o protocolo medicamentoso instituído pelo Comitê Científico Municipal. 

Além disso, será disponibilizada uma sala de urgência e emergência para dar suporte aos casos mais graves. Os serviços prestados pela equipe do Centro de Atendimento contra a Covid, que funciona também no Palácio dos Esportes, vão continuar normalmente.

A expectativa é de que o 'Hospital Dia' entre em funcionamento dentro de 15 dias. De acordo com a SMS Natal, se houver necessidade, a mesma estrutura será replicada para os outros dois Centros de Enfrentamento à Covid que funcionam no Ginásio Nélio Dias, na zona Norte, e no Cemure, na zona Oeste. 

O fluxo de atendimento vai funcionar da seguinte forma: os pacientes que necessitarem de atendimento no Hospital Dia serão encaminhados pelas Unidades Básicas de Saúde, Unidades de Pronto Atendimento e os Centros de Atendimento para esse suporte e monitoramento mais efetivo, podendo receber medicação intravenosa para evitar uma possível internação. O espaço funcionará de segunda a sexta, das 08 às 16 horas. 

“Essa é mais uma medida que a gestão toma de forma inovadora e pioneira para mitigar os efeitos da pandemia na capital potiguar. O Hospital Dia vai prestar uma assistência rápida e eficiente aos pacientes que buscarem o serviço. O compromisso de salvar vidas segue sendo nossa total prioridade e não vamos medir esforços para proteger a população", destacou o prefeito Álvaro Dias.

Indígenas
Cerca de 170 pessoas que integram as 57 famílias identificadas pela Prefeitura do Natal como do grupo Indígena Mendonça, serão vacinadas nesta sexta-feira (5). A vacinação desse grupo será in loco, utilizando as 80 doses da vacina Oxford destinadas a esse público.

A identificação desses indígenas foi feita em uma ação conjunta entre as Secretarias Municipais de Saúde, Trabalho e Assistência Social e a de Igualdade Racial, Direitos Humanos, Diversidade, Pessoas Idosas e com Deficiência, no bairro Nossa Senhora da Apresentação, zona Norte de Natal.

“A SMS Natal vai seguir o Plano Nacional de Imunização e vacinar os idosos indígenas. Com a chegada de novas doses, o restante do grupo será vacinado”, afirmou George Antunes. O Ministério Público Federal cobrou a vacinação desse público em recomendação à SMS Natal. 

Salas de vacinação
A SMS Natal ampliou os pontos de vacinação contra a Covid-19 na cidade para esta sexta-feira (5). A vacina será disponibilizada para idosos com 80 anos e mais em 10 novas salas nas unidades básicas, além das outras 11 já em funcionamento nessa etapa da campanha, e dos drive-thrus com salas para pedestres no Palácio dos Esportes, Nélio Dias e Via Direta. Todos os locais vão funcionar das 08h às 13h, nesta sexta-feira, em horário corrido para atender o público-alvo.

Com essa ampliação cada distrito da capital passa a contar com quatro salas, totalizando 29 endereços, considerando os drive-thrus. 

São eles:
Norte I 
UBS Pajuçara, UBS Nova Natal, UBS Redinha (novo) e UBS Nordelândia (novo); 

Norte II
UBS Vale Dourado, UBS Panatis, UBS Nova Aliança (novo) e UBS Soledade II (novo); 

Leste
UBS São João, UBS Brasília Teimosa, UBS Rocas, UBS Alecrim (novo) e Unidade Mista de Mãe Luiza (novo); 

Oeste
UBS Nazaré, UBS Felipe Camarão II, UBS Cidade Nova (novo) e UBS Bairro Nordeste (novo); 

Sul
UBS Candelária, UBS Rosângela Lima, UBS Nova Descoberta (novo) e UBS Ponta Negra (novo).





Atualizada às 8h





Leia também: