Viver
Complexo 'Rampa – Arte, Museu, Paisagem' oficializou o início de sua produção
Publicado: 00:00:00 - 15/10/2021 Atualizado: 21:32:12 - 14/10/2021
Programado para ser entregue ao público no primeiro semestre de 2022, o complexo “Rampa – Arte, Museu, Paisagem” oficializou o início de sua produção com a assinatura do termo de cooperação entre o Governo do Estado e a Casa da Ribeira. O ato, realizado na manhã de quinta-feira com a presença da governadora Fátima Bezerra, implementou a ocupação artística da Rampa, um espaço histórico da capital potiguar, em Santos Reis, que abrigará um ambicioso projeto cultural e ambiental, com intenções de ser referência nacional e projetar o local para o mundo. 

Magnus Nascimento
Com o projeto, o complexo começa a ganhar “vida” e planejamento cultural

Com o projeto, o complexo começa a ganhar “vida” e planejamento cultural


O projeto do complexo cultural na Rampa será viabilizado por meio da Lei de Incentivo à Cultura Câmara Cascudo, cujo valor proposto pela Casa da Ribeira foi de  R$6,4 milhões, captação realizada através de renúncia fiscal do ICMS das empresas que aderem à iniciativa. Henrique Fontes, atual presidente da Casa, declarou se tratar de um projeto longo, que ganhou agora sua primeira pedra fundamental com a assinatura do termo de cooperação, no dia 14 de outubro. 

Henrique destacou o poder “simbólico e regenerativo” de se criar um equipamento cultural tão ousado num momento difícil para o cultura no Brasil.

“Vemos o complexo Rampa como um  amplo espaço para a arte, educação e lazer, e também para sonhar, aberto à imaginação e a novas perspectivas. É um projeto feito com muitas mãos”, disse. Gustavo Wanderley, coordenador geral do projeto, também reforçou a simbologia de existir  nesse momento a cooperação entre o Estado e uma instituição independente como a Casa da Ribeira. 

Cercada por apoiadores políticos e vários representantes da classe artística, Fátima Bezerra ressaltou que a assinatura do termo para que a Casa da Ribeira tenha condição plena de desenvolver o funcionamento do projeto. “É primeiro passo importante, logo após a restauração física da Rampa, fundamental para que esse projeto pudesse existir. Agora temos um calendário que deverá ser cumprido até o primeiro semestre de 2022 pela Casa da Ribeira”, enfatizou.

Segundo a governadora, a Rampa promete se tornar “o mais belo e moderno complexo cultural do Estado”. Fátima ressaltou o potencial turístico do novo projeto, que tem uma área de 11 mil metros quadrados, com duas salas de exposição, salas educativas, espaço para café e restaurante, recepção, bilheteria, área externa para eventos com até 3 mil pessoas, estacionamento, além da calçada Potengi, espaço com visão privilegiada do rio, devolvendo à cidade o acesso à paisagem.

Guaraci Gabriel é um dos artistas locais convocados para fazer parte da exposição na nova Rampa. Conhecido por suas peças de ferro, ele promete fazer uma de suas obras mais ousadas pro local. “Será dedicado ao rio Potengi, indo de sua nascente até a foz, que é aqui em Natal, passando por nove cidades”, diz. Segundo ele, em cada cidade a obra fará referência a um elemento cultural de lá. Ele ainda está estudando a peça, que logo mais terá uma maquete.
 
O experiente João Marcelino, conhecido pelos figurinos exuberantes para espetáculos locais, conta que se sentiu desafiado pela curadoria do projeto. “Farei uma espécie de cápsula do tempo, com elementos característicos do período antes e pós 2ª Guerra, entre 1938 e 1950”, diz. Ele conta que pretende sintetizar essas referências, de uma forma inovadora. “Está sendo um desafio, mas também é uma honra pra mim ter sido convidado para esse projeto”, diz.  

Leia também

Plantão de Notícias

Baixe Grátis o App Tribuna do Norte

Jornal Impresso

Edição do dia:
Edição do Dia - Jornal Tribuna do Norte