Condenado por participação em morte de PM catarinense é recapturado em SGA

Publicação: 2020-03-26 08:04:00
A+ A-
Um homem foi preso na noite desta quarta-feira, 25, em patrulhamento de rotina da Polícia Militar em São Gonçalo do Amarante, região metropolitana de Natal. Weverton Lendário Gomes da Silva, de 35 anos, é condenado por planejar assalto que resultou na morte de Caroline Plescht, soldado da PM de Santa Catarina, em crime ocorrido em março de 2018. Weverton foi preso em março do ano passado, fugiu e tinha, em seu nome, um mandado de prisão expedido para sua recaptura. 

Créditos: Reprodução/FacebookCaroline Pletsch e Marcos Paulo foram vítimas do crime em março de 2018Caroline Pletsch e Marcos Paulo foram vítimas do crime em março de 2018

O homem foi preso próximo a um posto de gasolina no bairro de Santo Antônio. Segundo o supervisor da ocorrência, o foragido apresentou atitude suspeita frente à aproximação dos policiais e, durante a identificação, foi identificado que um mandado de prisão estava aberto em seu desfavor.
 
Aos policiais, ele confessou participação no crime que resultou na morte de Caroline Pletsch, em assalto a uma pizzaria no conjunto Parque das Dunas, zona Norte de Natal, 

Memória
No dia 26 de março de 2018, quando estavam de férias em natal, um casal de policiais militares catarinenses foi baleado em uma tentativa de assalto a uma pizzaria na Zona Norte de Natal. A soldada Caroline Plescht, 32, faleceu em decorrência dos ferimentos, enquanto seu marido, o sargento Marcos Paulo da Cruz, 43, também foi baleado, mas sobreviveu.
 
De acordo com o delegado Rysklyft Factore, João Victor, de 18 anos, e um outro adolescente entraram no estabelecimento e perceberam que o sargento Marcos Paulo estava armado. Após luta corporal contra os suspeitos, Caroline ainda chegou a defender o marido, mas foi alvo de um tiro a queima roupa. Após isso, João Victor ainda disparou tiros contra o sargento Marcos Paulo. Após os disparos, a dupla fugiu com a arma que era do militar catarinense. 

Em abril de 2018, João Victor, que teria disparado contra o casal, foi morto em troca de tiros com o Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope). Um mês depois, o inquérito do caso foi concluído pela Divisão de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP). Na ocasião, cinco suspeitos foram indiciados pela morte da militar, entre eles Weverton e sua companheira, de 20 anos.





Deixe seu comentário!

Comentários