Natal
Congresso debate gestão do SUS
Publicado: 00:00:00 - 03/05/2017 Atualizado: 23:46:19 - 02/05/2017
A valorização do Sistema Único de Saúde (SUS), com a criação de plano de carreira, investimentos em equipamentos e na formação e real articulação com demais redes de atenção são apontados como fatores “fundamentais” para melhoria da saúde pública no Brasil pelo médico sanitarista e presidente da Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco), Gastão Wagner Campos. Para o especialista,  falta prosseguir na reforma administrativa e do modelo de gestão do SUS.

Adriano Abreu
Em congresso, presidente da Abrasco, Gastão Wagner Campos, alerta para a fragmentação do SUS

Em congresso, presidente da Abrasco, Gastão Wagner Campos, alerta para a fragmentação do SUS


Em congresso, presidente da Abrasco, Gastão Wagner Campos, alerta para a fragmentação do SUS

Leia Mais

O médico alega que o SUS está fragmentado, dividido, com políticas e programas diferentes conforme o governo, conforme seja da União, dos estados ou dos municípios. “O SUS está dividido entre atenção primária, hospitais, ambulatórios, urgência, saúde mental, etc. O SUS está sendo estraçalhado entre serviços públicos, organizações sociais, fundações, entidades filantrópicas, uma Babel em que não há solução gerencial mágica. O SUS sofre com as mesmas mazelas do Estado brasileiro: ineficiência, privatização de interesses, clientelismo, burocratização.  Precisamos, urgente, de uma reforma do modelo de gestão que diminua o poder discricionário do poder executivo e que assegure sustentabilidade e continuidade ao SUS”, disse o médico.

Ele participa em Natal do 3º Congresso Brasileiro de Política, Planejamento e Gestão em Saúde, promovido pela Associação Brasileira de Saúde Coletiva (ABRASCO), em parceria com a Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). As atividades foram iniciadas nesta segunda-feira (1º) e seguem até a quinta-feira (4), no Centro de Convenções de Natal. Com o tema “Estado e Democracia: o SUS como Direito Social”, o congresso busca promover a articulação entre esses diversos setores, gerando conhecimento, assim como a formulação e a implantação de políticas para a solidificação do Sistema Único de Saúde no Brasil.

Entre os congressistas ainda estão nomes importantes, como o professor de economia também da Unicamp e articulista da revista Carta Capital, Pedro Paulo Bastos; o assessor da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), psiquiatra e pesquisador italiano, Ernesto Venturini; a economista e mestre em seguridade social Alejandra Carrillo Roa; e os jornalistas Rogério Lannes (Raddis Fiocruz) e Daniel Brunet (O Globo).

O evento reune cerca de dois mil participantes entre estudantes, professores universitários, gestores públicos e convidados internacionais, como os representantes da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), responsável pelo envio dos médicos cubanos ao Brasil através do Programa Mais Médicos.  Serão debates importantes, com cerca de 1.900 trabalhos inscritos entre painéis, folders e mesas de discussão, segundo o organizador do evento e professor da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Cipriano Maia.

Serviço
A programação completa do evento está disponível em http://abrasconatal17.ufrn.br/.


Leia também

Plantão de Notícias

Baixe Grátis o App Tribuna do Norte

Jornal Impresso

Edição do dia:
Edição do Dia - Jornal Tribuna do Norte