Consumo em alta

Publicação: 2020-10-28 00:00:00
Luiz Antônio Felipe 
laf@tribunadonorte.com.br

A intenção de consumo das famílias tem segunda alta consecutiva em outubro, puxando o trem do crescimento da atividade econômica no semestre, mostra a Confederação Nacional do Comércio (CNC). O indicador subiu pouco em outubro (+0,9%) a 68,7 pontos, após acumular cinco quedas consecutivas até agosto. Mesmo com as recentes altas, registra o pior desempenho para outubro desde o início da série histórica, em janeiro de 2010.  A pesquisa Intenção de Consumo das Famílias é um indicador antecedente que tem o objetivo antecipar o potencial das vendas do comércio.

RIQUEZA 
O governo brasileiro prevê o PIB per capita perto do Chile e da Hungria, até 2031, mas apenas em cenário transformador. Seria um amplo conjunto de reformas que envolvesse não apenas o lado fiscal, para o PIB per capita do Brasil crescer 37,2% no acumulado entre o ano-base de 2020 e 2031. Hoje, na reunião do Copom, o mercado aposta na manutenção da taxa Selic em 2%, e prevê alta em 2021.

CRÉDITO (I) 
Enquanto o consumidor buscou mais crédito, as empresas se retraíram. A demanda das empresas por crédito tem queda de 3,3% em setembro, revela a Serasa Experian, com a região Sudeste influenciando o recuo do índice, com retração de 7,3% e o Nordeste crescendo 1,4%. O crédito a pequena empresa cresceu 28% puxados por programas criados na pandemia.

CRÉDITO (II)
No caso das pessoas, foi o consumo que puxou a alta de 2,9% de novos empréstimos em setembro. A expansão vem das linhas que são diretamente ligadas ao consumo, como cartão de crédito (8,6%) e aquisição de veículos (9,6%). Quando a pesquisa de outubro for divulgada, com o auxílio emergencial pela metade, os números devem ficar bem diferentes.

PRECAUÇÃO 
O brasileiro está aprendendo a se proteger. Antes tarde do que nunca. Com os juros altos, o rotativo do cartão e o cheque especial estão perdendo espaço, mostra um levantamento do Banco Central. O auxílio emergencial também deu uma “mãozinha” nessa mudança de comportamento.

ECONOMIA QUASE PARANDO
A ONU aponta que os investimentos diretos no Brasil caíram pela metade em 2020. Não poderia ser diferente diante de um quadro caótico provocado pela pandemia. Os dados fazem parte da Conferência para Desenvolvimento e Comércio da entidade. No total, o primeiro semestre registrou uma queda de 48% nos investimentos no Brasil em comparação ao mesmo período de 2019, atraindo um total de US$ 18 bilhões entre janeiro e junho. Com isso, o Brasil foi sexto destino de investimentos no mundo, igualando-se ao México. Em 2019, o Brasil aparecia na quarta posição entre os maiores destinos de investimentos.

COTAÇÕES 
O preço do barril de petróleo (spot) foi vendido ontem por US$ 39,47, alta de +0,89%. A Bolsa fechou em forte baixa de -1.40% a 99.606 pontos. O dólar engatou alta contra o real com foco em EUA e disseminação da Covid-19. O dólar fechou cotado a R$ 5,685, alta de +1,26% e o euro a R$ 6,714, alta de +1,27%.

FATO RELEVANTE 
O Grupo Guararapes/Riachuelo vai lançar ações (terá mais acionistas) e assim fazer a migração para o Novo Mercado. A decisão é do Conselho de Administração da Companhia “que dará início aos procedimentos necessários à migração da Companhia para o segmento de listagem Novo Mercado da B3 S.A”. Uma assembleia de acionistas será convocada para deliberar.

RETORNO 
Quase 85% dos pequenos negócios de moda já retomaram atividades, mostra um levantamento inédito do Sebrae. Porém, o retorno do setor é cauteloso e impactou principalmente os nichos de moda praia, moda infantil e de uniformes. A grande maioria reduziu o volume de compras ou desistiu de novas coleções para a próxima temporada.

BALANÇO 
Surpreendeu o mercado o lucro líquido do Banco Santander de R$ 3,9 bilhões no terceiro trimestre do ano, uma alta anual de 5,3%. O resultado foi ajudado por ganhos de tesouraria e perdas com empréstimos menores do que o esperado. Outros grandes bancos divulgam os seus balanços nos próximos dias.

CONCESSÕES 
A Arena das Dunas e Fiern promovem seminário online sobre PPPs e Concessões. O webinário será hoje, 28, às 9h30, e terá como convidados o professor Carlos Ari Sundfeld (FGV) e o professor Sandro Cabral (Insper). Eles vão discutir aspectos jurídicos e administrativos nos contratos de PPPs e concessões, além da eficiência na alocação de riscos.

HOTELARIA 
O Hotel Parque da Costeira só deverá ser leiloado no próximo ano. Mas, quem está com pressa em investir na hotelaria pode adquirir o Hotel Tambaú, ícone da hotelaria de João Pessoa e do Nordeste. O leilão está aberto para lance no www: depaulaonline.com.br e marcado para a abertura das propostas para amanhã,  às 14h. 











Os artigos publicados com assinatura não traduzem, necessariamente, a opinião da TRIBUNA DO NORTE, sendo de responsabilidade total do autor.