Convocação ajuda no número de leitos

Publicação: 2020-07-03 00:00:00
A+ A-
No segundo dia após a reabertura da economia, o Rio Grande do Norte atingiu uma taxa de ocupação de 91% de seus leitos hospitalares, de acordo com a Secretaria do Estado de Saúde Pública (Sesap). A informação foi repassada durante a coletiva de imprensa diária da secretaria, pelo adjunto da pasta, Petrônio Spinelli. De acordo com dados da plataforma Regula RN, que reúne os dados oficiais sobre situação dos leitos covid no Estado, a região Oeste conta com 94,9% de sua rede ocupada, enquanto a região Metropolitana de Natal apresenta ocupação de 91,5%. A menor taxa de ocupação está no Seridó, onde 82,8% dos leitos estão sendo utilizados pelos pacientes.

Créditos: ASCOM/SESAPEm João Câmara, mais cinco leitos foram habilitadosEm João Câmara, mais cinco leitos foram habilitados



A Plataforma Regula RN mostra que há 38 pacientes necessitados de leitos críticos aguardando regulação no Estado, e há um total de 20 leitos disponíveis. Além desses, há 48 pacientes que precisam de transferência para leitos clínicos. A quantidade de leitos clínicos disponíveis supera o número de pacientes em espera, somando um total de 48. Muitos pacientes, no entanto, continuam aguardando o transporte para poderem chegar aos leitos regulados: são 36 pessoas nessa situação, de acordo com a plataforma.

De acordo com Spinelli, a Secretaria abriu 15 novos leitos da quarta-feira (1) para a quinta-feira (2). Foram cinco  no Hospital João Machado, em Natal; cinco em São Gonçalo do Amarante; e cinco em João Câmara, no Hospital Regional Josefa Alves Godeiro.  

Além desses que foram abertos, o Hospital Regional de João Câmara já contava  com 10 leitos clínicos e, também, com capacidade para aumento na oferta do número de leitos dependendo da demanda. Segundo a diretora geral do Hospital Regional de João Câmara, a médica Karolina Assunção, além dos 5 novos leitos de UTI’s Covid e dos 10 leitos clínicos que fazem parte da estrutura, o hospital conta com dois leitos de UTI’s com respiradores, que continuarão ativos e passarão a ser leitos para casos que não sejam Covid-19.

Atualmente, a Secretaria trabalha para abrir novos leitos em Mossoró, no Hospital São Luís. No São Luís, os leitos já se encontram equipados para iniciarem o funcionamento, entretanto, os planos de abertura iniciais da Secretaria precisaram ser alterados em função do adoecimento de membros da equipe médica que compunham a escala de plantão. 

Petrônio Spinelli explicou  que a expectativa é colocar os leitos em funcionamento após a convocação de 930 profissionais da saúde, feita pelo Governo na quinta-feira. A previsão é que tudo possa estar funcionando na próxima segunda-feira (7). "O Estado, nesse esforço de chamar pessoal para viabilizar leitos de UTI em todos os locais, chamou mais 930 profissionais. Isso é importante e decisivo, porque não é fácil. Nós convocamos 1000 pessoas e aparecem 500, nem todo mundo está se dispondo a trabalhar com essa epidemia", explica o secretário adjunto. Ele afirma, ainda, que há expectativa de abertura de novos leitos de UTI em Parnamirim, onde há um Hospital de Campanha municipal.

Convocação
A convocação de 930 profissionais para atuar no enfrentamento à covid-19 foi publicada na edição dessa quinta-feira no Diário Oficial do Estado (DOE). Os convocados têm até 10 dias a partir da data de publicação da convocação para assinar o contrato, e o atendimento será de forma virtual. A lista de profissionais convocados para cada região de saúde está disponível no DOE. Dentre as especialidades estão enfermeiros, farmacêuticos, bioquímicos ou biomédicos, fisioterapeutas, técnicos em enfermagem, técnicos em radiologia, técnicos em laboratório, higienistas, copeiros, auxiliares de cozinha, cozinheiros e maqueiros, para as oito regiões de saúde do Estado.

Na mesma coletiva, o secretário adjunto informou que o RN atingiu a marca das 1.095 mortes por covid-19 nesta quinta-feira, 2. Ao todo, 32.578 pessoas possuem confirmação de infecção pela doença no Estado, 679 a mais do que na quarta-feira, 1. De acordo com Spinelli, outros 173 óbitos permanecem em investigação pela Secretaria. Durante a coletiva, ele ressaltou a importância do cumprimento do isolamento social por parte da população para garantir uma redução da taxa de transmissibilidade da doença.