Coronavírus e a escola: os impactos da pandemia na educação

Publicação: 2020-03-21 00:00:00
A+ A-
O Brasil tenta se posicionar de forma estratégica frente à pandemia que estamos enfrentando. Um dos recursos para evitar o alastramento e provável pico do Coronavírus é o fechamento das escolas. Países que tiveram seus picos da pandemia tiveram que tomar esta medida de modo repentino, em meio a um cenário caótico e pudemos até ver imagens que pareciam saídas de um filme pós apocalíptico: ruas desertas, pessoas sendo enviadas para suas casas.

 Após a experiência de outros países, a decisão por aqui foi o fechamento gradativo e depois total das escolas. Algumas enviaram comunicado de fechamento imediato e outras preferiram manter por um ou dois dias mais as atividades, para ser possível orientar as crianças e famílias quanto ao período em casa, uma vez que por enquanto o tempo será indeterminado, começando com um período pré-determinado inicial em alguns locais.

 A grande questão é em relação ao preparo das escolas – e dos pais - em relação à medida. As atividades escolares interrompidas podem se tornar um grande problema mais à frente, se não forem usadas estratégias e parcerias entre os envolvidos. Algumas escolas oferecem o estudo à distância, como exemplo já ocorrido em países que estão lidando com esta crise na saúde.

 Uma estratégia que tem dado bons resultados no exterior é a transmissão de aula na segunda de manhã, para os alunos, na qual o professor explica e faz recomendações para serem feitas durante a semana. Lições são enviadas via internet e dúvidas podem ser tiradas em um outro dia específico da semana, quando o professor estará disponível para atendimento remotamente, em sua residência.

Ainda é cedo para saber o que todos farão por aqui, mas os relatos misturam escolas que irão fornecer as aulas em ambiente virtual, as que farão uma mesclagem no atendimento, de modo remoto também e as que não ofereceram soluções para o tempo em casa. É importante não julgar nenhuma delas, porque estamos todos nos adaptando à situação e, portanto, aos poucos poderemos ver o que dá melhores resultados no caso de acréscimo no tempo em casa.

O envio de algumas lições, mesmo que sejam de revisão do que foi dado, uma tarefa de pesquisa ou ainda meramente observações para os pais poderem ajudar em casa na educação acadêmica, como leituras de partes do material escolar ou treino de operações matemáticas é totalmente válido, porque ajudará a criança e os pais.

Para os pais é um pouco delicado ficar com os filhos em casa, na espécie de isolamento em que o país pode vir a ter. Muitos já trabalham em home office e é complicado realizar seu ofício com as crianças 24 horas na residência/escritório. O grande conselho para quem trabalha em casa ou começará a trabalhar assim durante este período é montar uma rotina intercalada com as crianças. Para períodos em que estiver fazendo o trabalho é interessante oferecer à criança uma tarefa também. Ela irá querer a atenção do adulto e nem sempre será possível ter.

Ao criar uma rotina, o adulto estabelece que naquele momento todos estão fazendo seus deveres e fica mais fácil equilibrar o papel de trabalhador com o papel de responsável pela criança. Precisa ser uma rotina, porque as crianças respondem melhor com horários previsíveis para realizar determinadas tarefas.

Se a escola enviou lições para os dias em casa, use-as enquanto trabalha ou cuida da casa. Se determinou aulas online com os professores, aproveite esse horário para fazer seus deveres.  O mais importante é adequar-se da melhor maneira possível, de modo que possamos minimizar os efeitos da pandemia na área da educação.








Deixe seu comentário!

Comentários