Natal
Coronavírus: secretário adjunto de Saúde diz que RN está mais próximo do bloqueio total
Publicado: 16:33:00 - 06/05/2020 Atualizado: 16:51:41 - 06/05/2020
O secretário adjunto de Saúde do Estado, Petrônio Spinelli, chamou a atenção para a possibilidade de restringir mais ainda as regras de isolamento no Rio Grande do Norte. Em coletiva de imprensa no fim da manhã desta quarta-feira (6), ele afirmou que o Comitê Científico do Consórcio Nordeste já alertou para um lockdown, ou seja, o bloqueio total e a proibição da circulação de pessoas, a não ser para serviços essenciais.
Elisa Elsie
Segundo Spinelli, aglomerações fazem números de casos subirem

Segundo Spinelli, aglomerações fazem números de casos subirem

Leia Mais

"Estamos mais próximos do lockdown do que da flexibilização", disse Spinelli. Segundo ele, há uma tendência de endurecimento das regras porque criou-se uma ilusão de que era possível flexibilizar e que era possível ir para as ruas usando máscaras. "Devido às aglomerações nas ruas estamos entrando numa fase extremamente perigosa. Fortaleza já entrou em lockdown, Maceió, Recife e Manaus estão próximo disso"

Até a tarde desta quarta-feira, três estados do Norte e Nordeste, Pará, Maranhão e Ceará, decretaram o bloqueio total em municípios que estão próximos ao colapso do sistema de saúde. 

Spinelli alerta para três pontos de vista que considera ilusórios: "O primeiro é que não há cidade protegida por que não há casos. Veja Tabuleiro Grande que não tinha nenhum caso e já apareceu com um óbito. O segundo é que o vírus circula e quando analisamos os óbitos no interior e nas áreas periferias, volta a ser mais letal junto às pessoas idosas e com comorbidades, retornando ao seu perfil inicial. A terceira ilusão é acreditar que o vírus poderá ser vencido de forma isolada. Ilusões podem ser fatais. Os municípios precisam, através dos planos de contingências locais, informar as regionais de Saúde para que a Secretaria Estadual de Saúde execute da melhor forma possível o plano de assistência nas regiões".

De acordo com o boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), o Rio Grande do Norte tem 1.644 casos confirmados e 72 óbitos por covid-19. Para Spinelli, os números indicam "uma situação realmente grave" e pressionam os leitos hospitalares disponíveis no Estado. Atualmente, a taxa de ocupação destes leitos é maior que 40%. O índice do isolamento social chegou a percentual considerado muito baixo pela Sesap, em torno de 40%. A secretaria afirma que é preciso pelo menos 60%.



Atualizada às 16h52



Leia também

Plantão de Notícias

Baixe Grátis o App Tribuna do Norte

Jornal Impresso

Edição do dia:
Edição do Dia - Jornal Tribuna do Norte