Coronel da PM é preso por suspeita de liderar esquema de contrabando no RN

Publicação: 2020-01-14 13:50:00
A+ A-
Um tenente-coronel da Polícia Militar do Rio Grande do Norte foi preso na manhã desta terça-feira (14) durante operação da Polícia Federal, por suspeita de liderar uma quadrilha especializada em contrabando de cigarros no Estado. Além do tenente André Luís Fernandes da Fonseca, outras seis pessoas foram detidas durante a 'Operação Níquel', e mais de R$ 16 milhões foram bloqueados pela justiça. As informações são da Justiça Federal e da Polícia Federal.

Créditos: Reprodução/InstagramCoronel Fernandes é apontado como chefe de quadrilha que atuava em contrabando de cigarro e outras mercadoriasCoronel Fernandes é apontado como chefe de quadrilha que atuava em contrabando de cigarro e outras mercadorias
Coronel Fernandes é apontado como chefe de quadrilha que atuava em contrabando de cigarro e outras mercadorias

O juiz federal Walter Nunes da Silva Júnior, titular da 2ª Vara Federal, decretou a prisão das sete pessoas e destacou na decisão que o PM exercia função de liderança na suposta organização; “O Tenente-Coronel da Polícia Militar André Luís Fernandes da Fonseca exerce função de liderança na organização investigada, possuindo domínio sobre as atividades operacionais e financeiras, bem como desempenha comando sobre os demais integrantes do grupo. Ademais, foram trazidos à investigação dados de que André Luís comanda ações para a garantia da continuidade das operações do grupo, como blindagem de eventuais intervenções policiais, havendo suspeitas, inclusive, de que ele conta com a ajuda de integrante da Polícia Rodoviária Federal lotado neste Estado para viabilizar o escoamento do produto, tamanha a facilidade no transporte das mercadorias.”

O Coronel Fernandes foi candidato a deputado estadual nas eleições de 2014 pelo PSD, e 2018 pelo PMB. Em 2016, Fernandes disputou o cargo de vice-prefeito de Macau pelo PRB. 

A PF ainda destaca que a suposta organização criminosa atua no Estado desde o ano de 2001. Os outros detidos na operação foram identificados pela Polícia Federal e Justiça Federal como Aldenir Garcia da Silva, conhecido como “Careca”, Assaf Elias Assaf, Sildaire Gregório da Silva, conhecido como “Sid”, Leonardo Aparecido do Vale, Julierme Rodrigues de Souza e Thiago Bruno de Queiroz.

De acordo com as investigações, os cigarros de origem estrangeira ingressam no território nacional através da costa potiguar, especificamente na região de Macau, e são transportados por caminhões, para diversos pontos na região metropolitana de Natal. As informações ainda sugerem que o transporte é realizado por integrantes do grupo, geralmente armados, contando com informações privilegiadas sobre possíveis abordagens policiais, inclusive da Polícia Rodoviária Federal.

A operação contou com a participação de 130 policiais federais, que cumpriram, além dos mandados de prisão, outros 16 de busca e apreensão, tanto em Natal, quanto nas cidade de São Paulo e Abaetetuba-PA.

Em nota divulgada à imprensa na tarde desta terça-feira, o Comando Geral da Polícia Militar informou que determinou a instauração imediata de processo administrativo disciplinar para apurações dos fatos envolvendo integrantes da corporação.

Já a Superintendência da Polícia Rodoviária Federal (PRF) informou, através de nota, que tomou conhecimento de um possível envolvimento de um policial rodoviário com a quadrilha através da imprensa. De acordo com o texto, providências disciplinares cabíveis já estão sendo adotadas pela Corregedoria Regional. "A PRF estará à disposição do Ministério Público Federal e da Polícia Federal para prestar informações e apoio necessários, diz a nota.

Atualizada às 18h44













Deixe seu comentário!

Comentários