Corpos poéticos

Publicação: 2014-04-04 00:00:00
A+ A-
Poemas lascivos e silhuetas de mulheres nuas se fundem em um amálgama texto-visual que compõe “Femininas”, exposição que reúne desenhos de Clewton Nascimento e versos de Nina Rizzi. O trabalho coletivo da dupla ocupa, a partir desta sexta-feira (4), o Nalva Melo Café Salão, na Ribeira. O vernissage está marcado para logo mais às 19h, com direito à degustação de receitas elaboradas pela chef Gabriela Sales e trilha sonora selecionada, tendo o erotismo como temática no traço, na palavra e no paladar para envolver todos e todas em uma atmosfera propícia ao estímulo dos sentidos. A visitação segue até o próximo dia 2 de maio em horário comercial.
Exposição Femininas inaugura no Café Salão Nalva Melo
Professor do Departamento de Arquitetura da UFRN, Clewton tem atuação consolidada na abordagem artística de áreas urbanas e há uns três anos vem experimentando a temática do nu erótico feminino. Seus desenhos, em carvão e pastel seco sobre papel para aquarela, são criados a partir da observação de modelos reais e/ou fotografias. “Busco evidenciar no traço feminino esse caráter de sensualidade, trabalhando a expressividade do corpo e o que ele está mostrando”, disse o artista. Longe de mascarar o olhar, seu foco não se volta para a beleza clássica nem muito menos almeja a perfeição dos corpos. Seu desejo é extrair expressividade e sensualidade da fonte (modelos e fotos), fiel ao que os olhos veem.

Clewton Nascimento mirou, ao longo do processo, quatro modelos ao vivo, que posaram por horas seguidas para observação e criação do artista. “As mulheres apresentadas não são fruto da minha imaginação nem perfeitas”, avisa. “Femininas” traz 10 obras, todas à venda, com tamanho de 85cm por 60 cm. Para cada tela um poema curto de Nina Rizzi, escrito especialmente para a ocasião – o título do quadro é o nome do poema.

Nina, poetisa paulista radicada em Fortaleza, aproveita para lançar “A Duração do Deserto” (R$ 35), seu livro mais recente publicado pela Editora Patuá este ano e que foi apresentado, no último dia 12 de março, no Centro Cultural São Paulo. Em 2012, Nina e Clewton já haviam se encontrado em uma exposição com temática sertaneja.

Além dessa segunda parceria com Clewton, o elo da poesia de Nina Rizzi com Natal também pode ser visto no curta-metragem “Noturnos”, de 2012, dirigido por Carito Cavalcanti e Joca Soares. O ponto de partida e fio condutor do filme são os poemas de Nina, 31, registrados no livro de estreia “Tambores para n’zinga” (Editora Multifoco, 2012). A autora também empresta a voz na narração (declama) do curta potiguar.

POEMAS
por Nina Rizzi

Pastoral de Yansã e a mulher que não se sabe

eu gostava de me perder e lambuzar
no acidente entre suas pernas, adorava
inspirava o ar que lhe saía das narinas
como o enfim deixar de respirar sofrido
depois, quando minha carne tremia, disse
– q uando eu te amo, venta
e nunca mais parou a ventania.

##

Poema impossível, dionises variegada

lançar meu corpo ao cimo
e alcançar teu nome, abismo.



Deixe seu comentário!

Comentários