Covid-19: Taxa de transmissibilidade no RN está próxima da meta do Governo

Publicação: 2020-06-20 08:14:00
A+ A-
O secretário de Tributação do Rio Grande do Norte, Carlos Eduardo Xavier, disse que a retomada da atividade econômica do estado a partir do dia 24 depende da redução da taxa de ocupação dos leitos e também do índice referente à transmissibilidade da doença. O titular da SET explicou as condicionantes durante o programa Entre Elas, da rádio Jovem Pan News Natal, FM 93,5, na manhã deste sábado (20).
Créditos: DivulgaçãoSecretário de Tributação, Carlos Eduardo XavierSecretário de Tributação, Carlos Eduardo Xavier


Na sexta-feira (19), o Governo publicou uma portaria explicando como está programada a retomada das atividades econômicas, dividindo a primeira fase em quatro "frações", conforme definiu a portaria. O próprio decreto fala sobre a necessidade de atendimento às condicionantes para que ocorra a retomada e, na entrevista deste sábado, Carlos Eduardo Xavier disse que há otimismo para que a reabertura ocorra.

"A nossa expectativa é essa. Desde que iniciamos o trabalho junto ao setor produtivo, plano de retomada entregue dia 5 de maio, formamos um grupo de trabalho com Governo e as entidades, começamos a trabalhar em cima desse plano, trazendo para uma realidade mais factível. E é o que esperamos que ocorra", disse o secretário.

Na avaliação de Carlos Eduardo Xavier, o plano prevê uma retomada "com muita responsabilidade" e o Governo reconhece a postura colaborativa por parte dos empresários, que sofrem com restrições desde o dia 13 de março. Ele citou os dois principais desafios para a retomada econômica: controle da transmissibilidade e redução na ocupação de leitos.

Segundo o titular da SET, a taxa de transmissibilidade, que é a média de quantas pessoas são contaminadas por um indivíduos infectado, já foi de 3 e agora está em 1,5. O objetivo do estado é chegar a 1. "Estamos próximos à meta e é uma variável animadora, neste momento", avaliou.

Já sobre a ocupação de leitos, ele reafirmou que pelos menos 30% dos leitos críticos estejam desocupados na rede pública. Na manhã deste sábado, somente 7,44% dos leitos críticos estavam disponíveis, com 50 pacientes nas filas de prioridades 1 e 2, que necessitam de leitos críticos. Por isso, o secretário voltou a pedir apoio da população com relação ao isolamento.

"Temos tentado fazer todo o esforço, abrimos leitos, mas concordo o isolamento precisa ser cumprido. Estamos punindo os estabelecimentos comerciais, e quando falo punindo é por eles estarem obrigados a não funcionar, mas a população continua indo às ruas para outros motivos. Enquanto o setor empresarial paga um preço alto, e os índices de ocupação dos leitos não cai", criticou Carlos Eduardo Xavier.