Covid mata general, chefe do INEP

Publicação: 2021-01-13 00:00:00
Chefe da diretoria do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) e responsável pela elaboração do Enem, o general da reserva Carlos Roberto Pinto de Souza morreu nesta segunda-feira, dia 11, aos 59 anos, após complicações causadas pela covid-19. O general, que era diretor de Avaliação da Educação Básica do Inep, estava internado em Curitiba. Na função desde setembro de 2019, ele participou das discussões para a concepção do Enem Digital, que será experimentado pela primeira vez este ano.

Créditos: Cedida

Sem mencionar a causa da morte, o Inep divulgou nota de pesar. A morte por consequência do novo coronavírus foi confirmada pelo jornal O Estado de São Paulo com pessoas próximas ao militar. “A presidência do Inep, em nome de todos os seus colaboradores, agradece o trabalho desempenhado com dedicação, entusiasmo, responsabilidade e senso ético pelo diretor Carlos Roberto. Seu nome estará registrado na história do Inep", diz trecho da nota
A edição de 2020 do Enem foi adiada em razão da pandemia e as provas acabaram remarcadas para 17 e 24 de janeiro. Apesar da mudança na data, há discussões sobre a pertinência de se manter o exame, tanto por conta dos riscos de contaminação pelo novo coronavírus quanto pelo fato de alunos terem ficado sem aulas uma parte do ano.

O general é da turma de 1983 da Academia Militar das Agulhas Negras (Aman) e foi para a reserva em 2017. Como general, ocupou dois postos: o de comandante de Comunicações e Guerra Eletrônica do Exército, em Brasília, e o de chefe do Centro de Defesa Cibernética.

Carlos Roberto Pinto de Souza também atuou como gerente do projeto do Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteira, o Sisfron. A escolha dele para o cargo no Inep chegou a ser criticada, em 2019, por conta da falta de experiência com os temas da alçada da diretoria.









Leia também: