Crea fará vistoria em barragens no RN

Publicação: 2019-02-07 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Especialistas e técnicos do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA) deram início a uma série de visitas para avaliar a situação das barragens do Rio Grande do Norte. No relatório divulgado pela Agência Nacional de Águas (ANA), que está sendo utilizado como base para as visitas, são cinco se destacam por suas condições mais críticas: a Marechal Dutra (Gargalheiras), no município de Acari,  Passagem de Traíras, em Jardim do Seridó, Calabouço, no município de Passa e Fica, Barbosa de Baixo, em Caicó, e Riacho do Meio, no município de Equador.

Visitas do Conselho Regional de Engenharia começam hoje e chegarão a cinco barragens no Estado, entre elas o Gargalheiras
Visitas do Conselho Regional de Engenharia começam hoje e chegarão a cinco barragens no Estado, entre elas o Gargalheiras

As visitas têm início já nesta quinta-feira (6). Os especialistas do CREA vão elaborar relatórios que serão enviados aos responsáveis pela conservação das barragens e sua manutenção. O momento é propício para as inspeções, de acordo com o CREA e a Defesa Civil do Estado, porque grande parte dos reservatórios do RN encontram-se com níveis baixos de água acumulada. “A ideia é que possamos fazer essas visitas e identificar os problemas antes da temporada chuvosa, quando fica mais difícil fazer essa avaliação”, explica Luiz Carlos.

Em 2010, o CREA chegou a fazer uma série de inspeções pelas barragens do Estado. À época, um documento foi elaborado e enviado à ANA e aos proprietários. “Para você ter uma ideia, quando visitamos essas barragens, todas elas estavam sangrando. Mesmo assim, conseguimos identificar vários problemas que precisavam ser ajustados. O Gargalheiras é um deles, que voltou a aparecer no relatório da ANA do ano passado como uma das que se encontravam em estado crítico”, afirma o ouvidor do CREA, Luiz Carlos Madruga.

O desastre de Brumadinho deixou em alerta os órgãos responsáveis pela fiscalização de barragens em todo país. No Rio Grande do Norte, apesar de não existirem barragens de rejeito de minérios construídas da mesma forma que as de Minas Gerais, uma nova inspeção também deve ser feita nas duas existentes no Estado, em Jucurutu e Bodó. “Seguro o relatório do Igarn, a de Bodó não oferece riscos, mas acredito que vamos visitar mesmo assim”, completa.

De acordo com o coordenador da Defesa Civil, o tenente-coronel Marcos Carvalho, o Governo está trabalhando para firmar um convênio entre o Estado e a Universidade Federal, com a participação de entidades como o CREA, a fim de garantir uma inspeção mais minuciosa das barragens. “As inspeções visuais são extremamente importantes, mas queremos fazer um verdadeiro raio-x das nossas barragens. A Universidade possui os equipamentos e também o conhecimento para ajudar nesse processo”, explica o coordenador. A ideia é que o convênio englobe os departamentos de Engenharia Civil, Geofísica e Geologia, a fim de dar uma perspectiva mais detalhada sobre o estado das construções.

Algumas barragens, como é o caso da de Passagem de Traíras, uma das que apresentava condições mais críticas, já foram visitadas pelo secretário de meio ambiente e recursos hídricos, João Maria Cavalcanti. O valor de R$ 500 mil está reservado para que um estudo aprofundado de risco seja feito sobre a barragem, e as soluções possam ser implementadas.

Barragens vulneráveis
O ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, apresentou nesta quarta-feira (6) os planos de ações para 139 barragens que serão recuperadas pelo Governo Federal. Há. entre as 139, sete no Rio Grande do Norte, mas o Ministério não especificou quais. Os diagnósticos apontam medidas e estratégias necessárias à reabilitação de barramentos que reservam água para diversos usos em 14 estados, nas regiões Nordeste, Sul e Sudeste. Apesar de demandarem atenção, as estruturas não apresentam risco iminente de rompimento.

Crea: ideia é identificar os problemas antes das chuvas
Crea: “ideia é identificar os problemas antes das chuvas”

As 139 barragens que serão recuperadas estão distribuídas nos seguintes estados: Ceará (31), Pernambuco (26), Bahia (26), Minas Gerais (15), Rio Grande do Sul (10), Rio Grande do Norte (7), Piauí (5), Santa Catarina (4), Paraíba (4), Alagoas (4), Maranhão (3), Rio de Janeiro (2), Sergipe (1) e Paraná (1). O Plano de Ações Estratégicas para Reabilitação de Barragens da União (Planerb) é resultado de uma cooperação técnica entre o Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) e o Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA) no Brasil.

O Relatório de Segurança das Barragens, elaborado pela ANA, apontou que cinco barragens do Rio Grande do Norte estavam em situação de vulnerabilidade.  Reportagem à época da divulgação do relatório mostrou que à barragem Marechal Dutra já havia passado por manutenções, conforme informou o diretor do órgão, José Wanderley.








continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários