Cresce número de doadoras de leite materno no RN

Publicação: 2013-05-19 00:00:00
Valdir Julião - Repórter

Ano a ano  vem crescendo o número de doadoras de leite materno no Rio Grande do Norte. De um total de 2.002 mães cadastradas na Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap) em 2006, o número subiu para 2.819 no ano passado, mas o volume de leite coletado ainda é insuficiente para atender a demanda dos bebês, principalmente prematuros, embora um litro de leite dê para até dez recém-nascidos  que precisam desse alimento natural pelo menos de oito a 12 vezes ao dia.

A coordenadora estadual de Aleitamento Materno, a enfermeira Evanúzia Dantas, disse que o percentual de recém-nascidos prematuros sobre o total de nascimentos de bebês no Estado ainda é alto, pois variou de 7,9% há sete anos, foi a 8,3% em 2011 e desceu para 7,8% no  ano passado.

saiba mais


No entanto, segundo ela, o público-alvo também inclui bebês órfãos, por exemplo, de mães que morreram durante o parto ou de portadoras de doenças, como as  soropositivas de HIV, que não podem amamentar o filho, além de bebês que têm algum problema patológico ou estão impedidos de sugar o leite  materno. Por isso, explicou ela, ocorre de o número de receptores, além de outras motivações, superarem o número de mães doadoras de leite, como em 2012, quando 2.819 mães doaram leites para 6.780 receptores. Nesse mesmo ano, de um toral de 4.171 litros de leite coletados, foram distribuídos 3.228, segundo dados da Sesap e do Ministério da Saúde (MS).

De acordo com o índice de prematuridade preconizado pela Organização Mundial de Saúde (OMS), valores acima de 10% são considerados inaceitáveis. E segundo a RIPSA (Rede Interagencial de Informações para a Saúde), para países desenvolvidos a taxa é de 5 a 6%. Relatório publicado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) publicado este ano, o Brasil está entre os 10 países com maior índice de bebês prematuros, com 9,2% prematuros.

Neste domingo (19) comemora-se o Dia Mundial de Doação de Leite Materno, mas Evanúzia Dantas afirmou que durante a semana desenvolveu-se outras ações para trabalhar e conscientizar as mães sobre a necessidade da doação para melhorar os estoques nos bancos de leites do Rio Grande do Norte, como na segunda-feira (13), quando houve um seminário de capacitação que reuniu 100  profissionais que atuam em bancos de leite e postos de coleta de Natal, Mossoró, Caicó, Parnamirim e Currais Novos.
Ana Maria recebeu, na Januário Cicco, orientações para amamentar
Umas das puérperas que se encontram na Maternidade Januário Cicco é a dona de casa Ana Maria de Araújo Medeiros, que afirmou ter consciência da importância do aleitamento materno desde o pré-natal. “Quanto mais tempo amamentar o bebê, melhor para a saúde dele”.