Crescimento brasileiro passa por aprovação de amplas reformas

Publicação: 2018-03-11 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
À medida em que o Brasil começa a dar os primeiros passos definitivos para fora de uma das maiores recessões de sua história, os rumos a tomar para garantir um crescimento estável e um novo país se tornam pautas cada vez mais frequentes na sociedade. Foi com o objetivo de discutir essas alternativas, que o 34º Seminário Motores do Desenvolvimento trouxe como tema “Caminhos para um novo Brasil”. Com palestras do empresário Flávio Rocha, diretor da Riachuelo, e do Ministro da Fazenda Henrique Meirelles, considerado por muitos o responsável pelos rumos que a economia brasileira tem tomado nos últimos meses, cerca de mil pessoas lotaram o auditório do Hotel Holiday Inn, na última segunda-feira (5).

Cenários políticos e de retomada da economia, no contexto de superação da pior crise brasileira, foram abordados por gestores e ministro de Estado no Motores
Cenários políticos e de retomada da economia, no contexto de superação da pior crise brasileira, foram abordados por gestores e ministro de Estado no Motores

No Seminário, o empresário Flávio Rocha apresentou durante palestra, que teve como tema “Cenários possíveis na política e nos negócios”, um panorama do que se espera para as eleições deste ano. Em uma ampla defesa do liberalismo econômico, Flávio Rocha defendeu a redução do Estado e a necessidade de realizar reformas estruturais que permitam que o empresariado invista no país.

"Seis meses atrás o cenário estava claro e apontava para um caminho de recuperação e liberdade econômica. Hoje, no entanto, o cenário eleitoral que se apresenta é assustador", afirmou Rocha em sua palestra. Para ele, a eleição que se aproxima é o momento de "virar a página" e reformar o país. Um dos principais pontos apontados pelo empresário como carentes de atenção é a falta de competitividade nacional. De acordo com ele, no ranking do índice de liberdade econômico o país se encontra em 153º lugar, numa lista de 180 países.

“Estamos próximos de países como Cuba, Venezuela e Coreia do Norte, mas podemos sair desse patamar e ir para perto de países com grande liberdade econômica, ou seja, países prósperos", afirma.

Em seguida, o Ministro da Fazenda Henrique Meirelles apresentou um panorama atual da economia brasileira, após a série de reformas implementadas pelo Governo Federal desde que o presidente Michel Temer (PMDB) assumiu o poder.

“A recessão já é passado para o Brasil e, portanto, para o Rio Grande do Norte também", afirma. A afirmação foi corroborada por uma série de indicadores econômicos que mostram que o país, pela primeira vez após dois anos consecutivos de quedas, registrou crescimento. No Produto Interno Bruto (PIB), o crescimento registrado foi de 1%, ao passo que, na produção industrial, o aumento foi de 2,5%.

Para garantir a continuidade do crescimento brasileiro de maneira estável e sustentável, ele defende a aprovação de ainda mais reformas. “As reformas tiraram o Brasil da maior crise econômica pela qual já passamos”, defende. Considerada um ponto chave pelo Governo para reequilibrar as contas do país, no entanto, a Reforma da Previdência permanece parada e sem previsão para ser votada na Câmara dos Deputados.

Análises
Confira trechos das palestras de Henrique Meirelles e  Flávio Rocha, no 34º Seminário Motores do Desenvolvimento do RN.

Flávio Rocha

"Todo empreendedor tem uma história de horror para contar a respeito de violências praticadas pelo Estado brasileiro. Os abusos cometidos contra quem gera emprego e renda são gravíssimos. Infelizmente, vivemos em um país no qual muitos acreditam que, para ajudar o trabalhador, deve prejudicar o empresário. E é exatamente o contrário que tem que ser feito. Temos que atrair investimentos, porque é com a vinda de empresas que geramos empregos, renda e riqueza para a população. Há uma inversão de valores no Estado brasileiro. O único caminho para voltarmos a crescer é apostar no livre mercado e reduzir o tamanho desse Estado cheio de vícios e privilégios".

Henrique Meirelles

“A recessão já é passado para o Brasil e, consequentemente, para o Rio Grande do Norte. Os números mostram que nós já conseguimos superar o pior da crise, graças, principalmente, às reformas. O que nós precisamos agora é alcançar um voo de ritmo constante. Historicamente, na economia brasileira, sempre vimos momentos de enormes crescimentos, seguidos de grandes crises, porque não se buscou construir um crescimento sustentável para o país. Esse é o nosso desafio agora, instaurar reformas para desinchar a máquina e permitir que ela cresça de maneira sustentável.”

Realizadores

Vejas as opiniões dos realizadores do Motores do Desenvolvimento do RN sobre o tema debatido

Ângela Maria Paiva Cruz, Reitora da UFRN

“Acredito que a Academia tem muito o que contribuir no debate sobre qual é o Brasil que queremos, porque somos proativos nesse processo de construção e desenvolvimento do país. Discutir propostas e projetos é importante para que nos posicionar no planejamento das políticas públicas, na execução e no monitoramento, tendo em vista o crescimento social e econômico do país. ”

Marcelo Queiroz, presidente da Fecomércio/RN

“Traçar metas e cobrar dos candidatos os assuntos que estão sendo debatidos pelos empresários, pela sociedade é fundamental. Estamos saindo da crise econômica, então a hora de dar os primeiros passos para discutir o que queremos nesse  Brasil que está ressurgindo é agora. Vamos debater sobre  Estado Mínimo, investindo em segurança, saúde e educação, dando liberdade ao setor produtivo, que  gera emprego e renda nesse país”

Amaro Sales, presidente da FIERN

“O Brasil tem que passar por isso que o Motores faz: uma discussão com os políticos, os empresários, com um ministro de Estado que conhece a causa econômica do país. Se a gente quer um Brasil melhor, mais moderno, precisamos analisar os números colocados por Flávio Rocha e pelo Ministro Henrique Meirelles. O Brasil tem que soltar as amarras que ainda seguram a sua produção"


continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários