Crise econômica é o principal assunto entre Dilma e Lula

Publicação: 2012-05-19 00:00:00
São Paulo (AE) - A crise econômica internacional, sobretudo a europeia, foi o tema principal da conversa ocorrida no almoço desta sexta entre o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a presidenta Dilma Rousseff, e o pré-candidato do PT à Prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad. “A preocupação é com o contexto internacional, mas há confiança de que o País está com espaço para expandir a sua economia e tomar as medidas necessárias, se foram cabíveis”, disse Haddad, após a visita de cerca de 1h30 que os três fizeram à exposição dos painéis “Guerra e Paz”, de Cândido Portinari, no Memorial da América Latina.
Presidenta Dilma Rousseff e ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva conversam sobre desafios econômicos, depois que visitaram a exposição Guerra e Paz, de Cândido Portinari, no Memorial da América Latina
De acordo com Haddad, todo o almoço, ocorrido em um restaurante do bairro da Barra Funda, próximo ao Memorial, foi pautado exclusivamente pela crise econômica internacional, principalmente a que atinge vários países da Europa. Segundo o pré-candidato petista, Lula e Dilma discutiram muito sobre a situação de cada país da Europa e sobre o papel dos Brics na solução desta crise. Ainda de acordo com Haddad, foi dito que o Brasil e a China são os protagonistas dos Brics na tentativa de encontrar soluções que possam ajudar a diminuir os impactos desta crise mundial.

Durante a visita à exposição, Haddad esteve próximo de Dilma e de Lula e posou junto com os dois para a foto oficial. Contudo, o pré-candidato petista manteve-se reservado, agindo quase como um coadjuvante. Durante a visita, alunos de três escolas da Capital também estiveram presentes. Enquanto Dilma tirava foto com as crianças, Haddad se manteve longe dos holofotes, no grupo dos ministros e petistas que acompanhavam a comitiva. Ao final da exibição, Lula e Dilma deixaram o local sem falar com a imprensa.

Fernando Haddad quer participação da presidenta

São Paulo (AE) - O pré-candidato do PT à Prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad, afirmou que a opinião da presidenta Dilma Roussef e do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva serão levadas em conta na campanha política, porque ambos “são lideranças importantes no País em qualquer eleição”. A afirmação do ex-ministro da Educação foi feita após visita à exposição Guerra e Paz, no memorial da América Latina, em São Paulo. Antes da exposição, Haddad Dilma e Lula almoçaram juntos num restaurante da região da Barra Funda, na Zona Oeste.

Para Fernando Haddad, “é óbvio que os apoios políticos contam, mas eles não são o ingrediente mais importante das eleições”. De acordo com o ex-ministro, as propostas e os currículos dos candidatos devem ser levados em conta nas eleições. Haddad aproveitou para criticar indiretamente a administração do atual prefeito Gilberto Kassab (PSD), que apoiará o seu principal adversário neste pleito, o pré-candidato do PSDB, José Serra. “Uma cidade com problemas crônicos, com problemas de governo”, disse o ex-ministro da Educação.

No intuito de alavancar a candidatura de Ferando Haddad, o ex-presidente Lula deve dar entrevista ao programa do Ratinho no SBT, na próxima terça-feira (22). A estratégia faz parte da agenda assumida por Lula para a pré-campanha petista em São Paulo. Ontem, foi o primeiro evento público de Lula e Dilma com Haddad em São Paulo.

Embora a ideia tenha sido posar ao lado dos seus padrinhos políticos, Fernando Haddad manteve-se tímido durante todo o evento. O ex-ministro só apareceu ao lado dos dois no final da exposição, para a foto oficial. Ele quer evitar acusações de fazer campanha antecipada, o que poderia provocar punições por parte da Justiça Eleitoral.

Durante o evento, a presidenta Dilma Rousseff ganhou de João Candido Portinari, filho do artista, um pingente de ouro com a imagem de um espantalho, que, segundo dizia Portinari em vida, “era o seu autorretrato”.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ganhou uma placa de agradecimento do projeto Guerra e Paz por ter sido o primeiro presidente brasileiro a mencionar os painéis do pintor em discurso na ONU. O Instituto Lula recebeu uma escultura do artista plástico Sérgio Campos inspirado nos painéis Guerra e Paz.

Chalita afirma que eleição não será definida pelos apoios

São Paulo (AE) - No mesmo dia em que a presidenta Dilma Rousseff e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva fizeram a primeira aparição pública junto a Fernando Haddad, pré-candidato do PT à Prefeitura de São Paulo, o pré-candidato do PMDB, Gabriel Chalita, disse não estar preocupado com o apoio dos dois à pré-campanha do petista. “A presidente tem uma aprovação fantástica mas eu não acho que as eleições em São Paulo serão decididas pelos apoios”, disse.

Sobre a adesão do PHS e PRP à pré-candidatura de Celso Russomanno (PRB), Chalita afirmou que isso faz parte das eleições. E afirmou que ainda está negociando com outras legendas mas que, por enquanto, não tem novidades.

As declarações foram dadas após reunião do pré-candidato peemedebista com a presidência da Associação Paulista de Medicina. Segundo Chalita, ele procurou a entidade para ouvir as opiniões sobre as demandas do setor de saúde para a cidade.