Crise pode reduzir número de empregos temporários

Publicação: 2014-09-16 00:00:00
Com a queda de 1,8% nas vendas de julho – dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) – e um crescimento de 6% na Liquida Natal – quatro pontos percentuais abaixo do esperado pela Câmara de Dirigentes Lojistas de Natal (CDL Natal) – as expectativas do comércio se voltam agora para as festas de fim de ano. Mas em meio a este cenário, alguns lojistas acreditam que o número de contratações de temporários possa encolher em relação a 2013.
Maioria dos empregos temporários no comércio de shopping de Natal é para caixa e vendedor
Exemplo disso é o que diz o presidente da Associação de Lojistas do Midway Mall (Alomid), Edmilson Teixeira. “No ano passado, contratamos cerca de 400 temporários, sem contar as lojas âncoras. Este ano, esse número deve ficar em 300”, disse.

De acordo com o presidente da Alomid, os lojistas parecem estar temerosos para contratar devido as quedas nas vendas que vem sendo registradas ao longo de 2014. “Nós não estamos com a mesma proposta de contratação do ano passado. O pessoal está um pouco retraído em função da situação econômica, então todos estão reforçando as equipes e oferecendo prêmios a quem se destaca. Tem muita gente falando que não vai contratar ninguém”, comentou.

saiba mais

Segundo Teixeira, as primeiras contratações deverão ficar para outubro, após as eleições. É o mesmo que diz Elaine Cristina Silva, 39, gerente de vendas de uma loja de roupas do shopping.

“Estse ano teve queda nas vendas. Primeiro vamos sentir o movimento até outubro para depois começarmos a contratar. Pode até que ser que se contrate o mesmo que o ano passado, mas também poderá ser menos”, explicou Elaine. “Só vamos ter essa base quando se aproximar o mês de novembro. Vamos sentindo o fluxo de clientes e analisando a necessidade de mais estoquistas, caixas e vendedores”, completa.

A gerente comercial de outra loja, Ana Lúcia de Melo, 49, também pensa em aguardar para dimensionar as contratações. “Ainda está um pouco distante e eu não tenho grandes expectativas para dezembro de 2014”, disse.

Para o fim de ano, explica Ana Lúcia, as contratações da loja são sempre para as funções de caixa e vendas. Um dos principais requisitos, segundo as gerentes das lojas, é experiência mínima em vendas. E as chances de ser efetivado existem, mas dependem do desempenho no período.

“Geralmente, pelo menos uma pessoa fica porque em janeiro tem gente de férias, depois tem o Dia dos Namorados, que nossa segunda melhor data para vendas, então a pessoa acaba ficando”, explica Ana Lúcia.

Conforme a presidente da Associação dos lojistas do Natal Shopping,  Alcyone Nóbrega, as contratações devem ser de aproximadamente 30% a 40% do quadro total de funcionários. “Já que o horário de funcionamento das lojas se prolonga, temos que ampliar o número de empregados”, disse. Segundo ela, a expectativa é que as vendas no shopping cresçam 40%.

Já o Partage Norte Shopping, localizado na Zona Norte de Natal, estima que o crescimento das vendas este ano seja de 20%, ficando abaixo dos 26% registrados no ano passado. “Tomando como base o ano anterior e contato com os principais lojistas, serão oferecidas cerca de 200 vagas temporárias”, declarou o shopping em nota.

RN
A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do RN (Fecomercio-RN) divulgou no início do mês que 6 mil empregos temporários serão oferecidos no Estado para trabalhar durante o fim do ano. O número representa um aumento de cerca de 5% em relação às contratações feitas em 2013 no período.