Cumbuca, um armazém de coisas finas

Publicação: 2019-04-12 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Cafés diferenciados, vinhos nacionais e importados, biscoitinhos do Seridó, queijos regionais e faixa azul, cortes especiais de carne, cervejas e embutidos artesanais, 'junkie food' e alimentos saudáveis sem glúten e sem lactose para agradar todos os paladares; tudo isso em um único lugar, a preços justos, boa prosa e ambiente aconchegante. Essa é a combinação oferecida pelo Cumbuca Armazém e Café, que inaugurou há pouco mais de um mês em Ponta Negra.

Alexandre Vieira e Caio Medeiros criaram um ponto de encontro
Alexandre Vieira e Caio Medeiros criaram um ponto de encontro

“Ainda não inauguramos oficialmente”, corrigiu Alexandre Vieira, que está à frente do novo negócio ao lado do sócio Caio Medeiros. A intenção da dupla, que se conheceu em 2013 durante o curso de Cozinha Profissional do Barreira Roxa, é oferecer um espaço que misture a praticidade da conveniência, com a exclusividade dos empórios e a regionalidade dos armazéns. O Cumbuca fica na Av. Praia de Genipabu, 2150, funcionando a partir das 10h30 no mesmo ponto antes ocupado pela distribuidora de bebidas Marreta.

É possível tanto abastecer a despensa de casa, como aproveitar as mesinhas do lugar para fazer um lanche, marcar um happy hour ou aproveitar a estrutura com para realizar reuniões de trabalho. Mesmo funcionando há cerca de seis semanas, o Cumbuca já recebeu uma festa intimista de casamento pós-cartório. Opções para comer e bebericar não faltam.

“Por enquanto estamos funcionando no sistema 'soft open', a inauguração deve acontecer daqui alguns dias. Agora o momento é para conhecer a clientela e apresentar um conceito que agrega qualidade e preços acessíveis. Queremos dar um passo de cada vez”, disse Vieira, que começou a produzir cerveja artesanal em 2010, sempre gostou da área gastronômica, e que agora tem se dedicado à 'ciência' do café.

Caio Medeiros reforça: “Estamos consolidando contatos, conhecendo os fornecedores. Estamos em processo de montar nosso catálogo”. Para Caio e Alexandre, o nome Cumbuca soa simpático e regional, e por mais que ofereça produtos de empório e adega tem uma pegada mais de armazém. “Cumbuca também remete à origem indígena e à versatilidade do utensílio, que pode ser utilizado para beber e comer”, explicou Alexandre. A clientela é eclética, mas algumas pessoas já se tornaram habitués. “Tem uma senhora que, todos os dias, vem comprar biscoito de leite. Já recebemos cliente que 'harmonizou' vinho com bata chips, e um outro que queria tomar uma taça de vinho branco antes das 11h da manhã. Sem falar no bairrismo de italianos e espanhóis, que procuram vinhos dos seus países”, contou Caio, que é graduado em Marketing, morou um ano nos Estados Unidos onde trabalhou com comida, e antes do Cumbuca já tinha trabalhado com alimentação saudável.

Vinhos, cervejas, cafés e biscoitaria regional dividem prateleiras
Vinhos, cervejas, cafés e biscoitaria regional dividem prateleiras

O foco do Cumbuca, informa a dupla, são os cafés especiais, na carta de vinhos diversificada com marcas da Itália, Chile, Espanha, França, África do Sul, Brasil, Portugal e Argentina, produtores locais de cerveja e produtos regionais como geleias e doces artesanais. “Também temos cortes especiais de carne, carne de búfalo, e produção própria de patês (frango, frango defumado e salmão) e pesto”, informou Caio, destacando que é possível um cliente montar a própria tábua de frios a preço de custo – por isso a venda de pequenas porções.

Outro diferencial é o atendimento: “Também estamos aqui para conversar com nossos clientes, falar sobre os produtos, contar causos. Por isso prezamos por uma relação próxima com fornecedores e produtores, para saber o que estamos oferecendo”, concluiu Caio Medeiros.











continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários