Currais Novos espera tratamento de água da adutora emergencial

Publicação: 2017-10-07 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Yuno Silva
Repórter


Os cerca de 45 mil habitantes de Currais Novos, cidade do Seridó potiguar, terão de esperar mais uma semana pela regularização do fornecimento de água. De acordo com a diretoria regional da Companhia de Água e Esgotos do RN, que trabalha em parceria com a Prefeitura de Currais Novos para instalar um ramal que permitirá o tratamento da água captada na barragem Armando Ribeiro Gonçalves, através da adutora emergencial, antes dela ser distribuída, a expectativa é que o sistema volte a operar até o próximo dia 13 de outubro. A conclusão do serviço foi adiada devido a dificuldade para instalar a tubulação em terreno pedregoso.

Em Acari, a estação de tratamento, que recebe água através da adutora emergencial Currais Novos, está funcionando sem problemas
Em Acari, a estação de tratamento, que recebe água através da adutora emergencial Currais Novos, está funcionando sem problemas
 

Em colapso desde 26 de setembro, o abastecimento está sendo garantido por 53 chafarizes espalhados pela cidade que disponibilizam à população a água que chega por meio de carros-pipa da Operação Vertente 2 – programa do Governo do Estado que atende áreas urbanas atingidas pela seca. O decreto de emergência, que reflete sete anos de estiagem na região Nordeste, permanece em vigor em 153 dos 167 municípios do RN.

Rosy Gurgel, diretora regional da Caern no Seridó, explicou que a água que chega pela adutora emergencial de engate rápido construída pelo Departamento Nacional de Obras contra a Seca (Dnocs) está passando direto para o abastecimento de Acari. “Como a água está chegando com coloração escura, devido à oxidação precoce do material utilizado na construção da adutora, consequência dos períodos que a obra ficou parada, é necessário que ela passe por um pequeno tratamento antes de ser distribuída”, disse ela.

Como em Acari já havia ligação entre a adutora emergencial e a estação de tratamento, a rede voltou a funcionar na madrugada do dia 1º de outubro. “Em Currais Novos essa ligação está sendo providenciada, é um trecho de 500 metros que não fazia parte do projeto original da adutora. O serviço deveria ser rápido, mas encontramos muitas pedras no caminho da tubulação”, observou.


Vazamentos
A adutora emergencial de engate rápido Currais Novos começou a ser construída em janeiro de 2015, entrou em fase de testes em março desse ano, mas após o equipamento apresentar pontos de vazamentos a Caern decidiu interromper os testes até que o Dnocs e a empresa responsável pela obra fizessem os reparos necessários.

A direção do Departamento Nacional de Obras contra a Seca, com sede em Fortaleza, informou que uma equipe de técnicos e engenheiros está mobilizada para acelerar os reparos. “Teremos uma posição atualizada sobre o funcionamento da adutora na próxima segunda-feira (9)”, adiantou a assessoria de imprensa do órgão. O equipamento tem 81km de extensão.

“Por ser uma cidade menor (11 mil habitantes) e precisar de menos água, fica mais fácil abastecer Acari: na medida que acionamos o bombeamento e aparecem os vazamentos, paralisamos a operação”, disse Rosy Gurgel, da Caern. De acordo com informações obtidas junto a Secretaria Municipal de Agricultura, Meio Ambiente e Abastecimento de Acari, foram verificados 32 pontos de vazamentos entre as cidades de São Vicente e Currais Novos, em um trecho de 20km.


continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários