Curso disponibilizado pelo AVASUS chega a mais 50 mil inscritos

Publicação: 2020-03-26 15:52:00
A+ A-
Mais de 50 mil pessoas matricularam-se no curso "Vírus respiratórios emergentes, incluindo o COVID-19", disponibilizado pelo Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (LAIS/UFRN) em parceria com a Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS). O módulo educacional, lançado há duas semanas, está disponível através da plataforma AVASUS e é aberto para a população em geral. O curso pode ser acessado através do link a seguir: http://bit.ly/CursoCoronavirus

De acordo com a equipe de suporte do AVASUS, ambiente virtual de aprendizagem do SUS desenvolvido pelo LAIS/UFRN, até às 18h desta quarta-feira (25) o módulo tinha 49.948 inscritos. Destes, 26.532 pessoas estavam certificadas, ou seja, finalizaram a atividade e já tinham direito ao certificado, o que equivale a mais de 50% do total de inscritos. Já na manhã desta quinta (26), o curso ultrapassou a marca dos 50 mil usuários. O número total de hoje deve ser atualizado até o final do dia.

"Nossa estimativa era que no final de semana chegássemos a este número, porém, a busca foi intensa ao longo da semana por parte dos usuários. Isto mostra que a população busca sempre informação de qualidade em situações como esta", disse o professor Ricardo Valentim, coordenador do LAIS e um dos envolvidos no projeto. Vale salientar o curso foi lançado no último dia 11 deste mês.

Os números chamam atenção ainda pela sua distribuição. Os estados com mais inscritos até o momento são o Rio Grande do Norte (1.977), São Paulo (1.330) e Minas Gerais (1.213). Por região, o Nordeste lidera com 6.653 inscritos. Há ainda usuários que não declararam seu estado de origem, bem como estudantes que vivem fora do Brasil, sendo estes dois grupos os maiores. Em relação aos acessos de outros países, há alunos nos Estados Unidos e Portugal, além de vários países de outros continentes.
 
”Ciência tem papel fundamental em momentos com este"

Para o professor Ricardo Valentim, o cenário de crise sanitária em que se encontra o mundo reforça a importância da pesquisa científica que é desenvolvida no Brasil. "São em situações como esta que informação de qualidade, embasada em pesquisa científica, se faz mais necessária. 

A ciência tem papel fundamental em momentos de crise como o que o mundo enfrenta agora, e deverá ter ainda mais protagonismo nos próximos anos", destacou o coordenador do LAIS.

Ainda de acordo com ele, o rápido crescimento do número de inscritos mostra a necessidade da produção de informação de qualidade. "As pessoas irão buscar informação de qualidade. E a informação de qualidade está aonde se produz ciência, que é dentro das universidades e centros de pesquisa. A UFRN e as demais universidades do Brasil terão um papel fundamental daqui para a frente, porque sairá delas e de outros centros de pesquisa espalhados pelo nosso país e em todo mundo as pesquisas que ajudarão a população a enfrentar esta pandemia e outras crises sanitárias que possam surgir nos próximos anos", afirmou Valentim.
 
Situação da pandemia

Esta quinta-feira (26) marca um mês do registro do primeiro da Covid-19 no Brasil, em 26 de fevereiro, na cidade de São Paulo.

De acordo com dados do Ministério da Saúde e das Secretarias Estaduais de Saúde de todo país, o Brasil conta com 2.563 infectados pelo novo coronavírus, com um total de 60 mortos.

Todos os estados da federação contam com casos da Covid-19. 

O maior número está em São Paulo, com 862 infectados, seguido pelo Rio de Janeiro com 370, e o Ceará, com 211.

Em relação ao número de mortos, São Paulo tem 48 no total. No RJ, já são oito mortos.
 
Distanciamento físico

A grande preocupação das autoridades de saúde do Brasil e do mundo no momento passa pela garantia de que os serviços de saúde possam estar disponíveis para receber as pessoas diagnosticadas com a Covid-19.

Ainda não há uma vacina ou medicamento tenha eficácia comprovada cientificamente para o enfrentamento do novo coronavírus. Desta forma, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que as pessoas façam o chamado distanciamento físico, ou seja, evitem sair às ruas e estar em grandes aglomerações. Desta forma, a curva de contágio da doença - que o movimento correspondente ao aumento do número de infectados, contabilizando-se a partir dos primeiros registros - tende a diminuir.
 
Números:
Total de inscritos: 48.948
Total de pessoas certificadas: 26.532

Total por estado:
AC: 153
AL: 283
AM: 344
AP: 90
BA: 1055
CE: 1027
DF: 482
ES: 357
GO: 460
MA: 313
MG: 1213
MS: 180
MT: 286
PA: 343
PB: 640
PE: 697
PI: 304
PR: 575
RJ: 992
RN: 1977
RO: 271
RR: 79
RS: 817
SC: 418
SE: 357
SP: 1330
TO: 246

Por região:
Sudeste - 3.892
Norte - 1.526
Nordeste 6.653
Sul - 1.810
Centro-Oeste - 1.654
Não informados: 33.413 (pessoas de todo o Brasil e exterior que não informaram sua região de origem)






Deixe seu comentário!

Comentários