Década perdida e como

Publicação: 2019-02-27 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Luiz Antônio Felipe
laf@tribunadonorte.com.br

 Com o Produto Interno bruto (PIB), de 2018, em torno de 1,2%, o crescimento econômico do Brasil nesta década será o pior da história. O PIB será divulgado pelo IBGE na próxima sexta-feira. A produção de riquezas em 2018 deve confirmar que o país vive a pior década em termos de crescimento econômico, com média anual de 0,58% entre 2011 e 2018. Taxa é menor que nos anos 1980 e 1930. Na avaliação de analista será  a mesma variação registrada em 2017, no período até 2020, o PIB completará a década com expansão anual inferior a 1% ao ano, abaixo das médias das piores crises, nos anos 1980 e na Grande Depressão da década de 1930.

Análise
Para os especialistas, o baixo crescimento, em grande parte, é estrutural e reflete a falta de confiança do empresário e do consumidor. Levando em conta as previsões do Boletim Focus, do Banco Central — de 2,48%, neste ano, e de 2,65%, em 2020 —, a média de expansão do PIB na década atual chegaria a 0,98%, pelos cálculos do economista José Luis Oreiro, professor da Universidade de Brasília (UnB).

Otimismo
A confiança da indústria alcança o maior nível desde agosto, aponta a  Fundação Getúlio Vargas (FGV). Mas, subiu muito pouco, apenas 0,8 ponto percentual em fevereiro sobre janeiro. Os empresários da indústria eletroeletrônica também mantém a confiança. Que se mantenha nesse ritmo por muitos meses.

Pessimismo
Já a confiança do comércio cai forte, 3,8 pontos em fevereiro ante janeiro, na análise da FGV. Teve altas expressivas em alguns meses de 2019 e agora, no começo do novo ano, começa a derreter. Em fevereiro, houve piora na confiança em oito dos 13 segmentos pesquisados.

Cenário
O presidente Donald Trump não entende de economia, dispara a ex-presidente do FED, o Banco Central norte-americano, Janet Yellen. Já o atual presidente do banco, Jerome Powell diz que a economia dos EUA está saudável, mas há sinais conflitantes. Sinal de alerta para o mundo. Já imaginou uma desaceleração das economias-locomotias dos EUA e da China? 

Contas x crime
 Os nove governadores que encerraram seus mandatos em 2018 deixaram um buraco nas contas públicas de R$ 71 bilhões para os sucessores, entre os quais, o Rio Grande do Norte, dados declarados pelos próprios Estados ao Tesouro Nacional. Não deixar dinheiro em caixa  para pagar as despesas de sua gestão é prática vedada pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) e criminalizada no Código Penal, sujeita a pena de um a quatro anos de reclusão. Mas, no Brasil,  até hoje ninguém foi responsabilizado formalmente.

Sabatina
O futuro presidente do banco Central, Roberto Campos Neto, disse que ontem que a missão é assegurar estabilidade do poder de compra. Em sabatina na Comissão de Assuntos Econômicos do Senado Federal, o economista elogiou a administração atual da autoridade monetária e disse que certos valores devem ser preservados e aprimorados.

Elétrico
O primeiro ônibus elétrico-híbrido 100% produzido no Brasil nasce de parceria entre a pernambucana baterias Moura, Eletra e XALT. A prevê a apresentação dos novos modelos ao mercado até meados deste ano. Na versão híbrida o consumo de combustível também é menor: redução de 28%. Como elétrico puro ou trólebus, além da emissão zero, o consumo é 38% menor.

Energia
O  Banco do Nordeste continua financiando até 100% de sistemas de energia elétrica para pessoas físicas, de micro e minigeração – solar ou eólica, com limite de R$ 100 mil. A linha de crédito FNE Sol, com recursos do Fundo Constitucional, o  FNE, está disponível para pessoas físicas e empresas. O valor das parcelas do financiamento pode ser igual ao deduzido da conta de luz.

Chuvas
Mais chuvas no interior do RN e grande parte do Nordeste. Ainda não dá para garantir um bom aumento da acumulação dos reservatórios. No RN as chuvas estão concentradas em maior número e volume na messoregião Oeste.

Aviação
O corte do ICMS para o querosene de aviação vai movimentar R$ 6,9 bilhões em São Paulo. Outros estados adotam a mesma solução, como o Tocantins. Para o RN a  solução é manter o incentivo às empresas aéreas, mesmo com os preços das passagens nas alturas, até maior do que em outros estados. Representamos muito pouco nessa contabilidade.

Pescador
A autorização temporária de pescador artesanal é renovada o que permite o exercício da atividade e o acesso ao Seguro Defeso com validade até 31 de dezembro deste ano, prazo previsto para a finalização do recadastramento do Registro Geral de Atividade Pesqueira.

Orçamento
Mais uma liberação de recursos. O Ministério da Educação desembolsa mais R$ 1,574 bilhão para instituições federais de ensino do país. Serão destinados para quase 150 instituições de todo o país para manutenção, custeio e pagamento de assistência estudantil, entre outros. Para o RN foram liberados R$ 53 milhões.






continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários