Da sucata às esculturas

Publicação: 2017-08-10 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
A inquietude do artista potiguar Guaraci Gabriel o levou ao município de Porto do Mangue, na Costa Branca do Rio Grande do Norte. Lá ele não apenas se deparou com a riqueza natural do lugar – dunas, rios, mangue, mar – como conheceu a história de vida de alguns moradores. Imerso nesse ambiente, Guaraci encontrou solo fértil para a ampliação de sua linha de trabalhos em que sucatas se transformam em verdadeiros monumentos de arte.

O artista está prestes a concluir uma série de 12 esculturas em grande formato que serão distribuídas pela cidade. São obras que homenageiam moradores representativos de Porto do Mangue, como a marisqueira Terezinha de Jesus e o pescador Sebastião Andrade de Lima, ambas já instaladas. A série completa será mostrada em setembro, como uma exposição ao ar livre, com cada peça dialogando com o espaço ao redor.

Guaraci Gabriel expõe esculturas onde propõe debate sobre o reúso de materiais
Guaraci Gabriel expõe esculturas onde propõe debate sobre o reúso de materiais

Para marcar o lançamento dessa exposição, Guaraci abre nesta quinta-feira (10), em Natal, a exposição “Compartilhe o reúso: um olhar do outro lado do meio”, mostra de maquetes em tamanho real de algumas esculturas que serão instaladas em Porto do Mangue – a marisqueira e o pescador. Também será mostrado uma escultura de Nossa Senhora de Aparecida, uma peça interativa chamada “Compartilhe” e o boneco “Reúso”. A exposição acontece na Pinacoteca Potiguar (Cidade Alta), com vernissage a partir das 17h. A entrada é gratuita.

“Há 30 anos trabalho o conceito do reúso. Não por uma questão de crise econômica, mas por um olhar sobre a sustentabilidade”, comenta o artista em entrevista ao VIVER. “Estou buscando um novo enfoque, mais voltado para o indivíduo. A gente vê o capitalismo e o socialismo em crise e busca uma nova saída. Então estou em busca dessa nova saída, mas atento ao que está no meio disso tudo”.

Durante a vernissage o artista vai distribuir “Passaportes Intergalácticos”, ação que já realizou na Bienal de Havana em 2009. “Tenho até receio que de posse dos passaportes as pessoas de Natal saiam da cidade. Vou até distribuir poucos”, brinca o artista. Na ocasião também será exibido um documentário sobre a marisqueira Terezinha de Jesus, do Porto do Mangue. A curadoria da exposição é de Sanzia Pinheiro, tanto em Natal, como em Porto do Mangue. “Se for só o artista a exposição nem sempre fica legal. Se deixar a gente enche de obras, coloca fotos demais. A curadora, com seu olhar de fora, ajuda a montar a exposição adequadamente”.

Guaraci vive um período de intensa produção. Ano passado, além de exposição sobre algumas de suas mais representativas esculturas, realizada no Sesc Cidade Alta, o artista também executou a obra “Pé de Mangue”, um caranguejo gigante que passou por vários ponto da capital potiguar. A obra foi bem comentada e acabou sendo comprada por um empresário. “Atualmente o caranguejo está desmontado. Um empresário aproveitou a repercussão em cima da obra e a adquiriu para instalar em frente a sua empresa”, diz.

Mas o artista não está muito satisfeito com o cenário natalense para às artes e por isso tem procurado outros municípios para realizar novos trabalhos. “Em Natal não temos espaço para fazer porra nenhuma”, reclama. Suas esculturas em Porto do Mangue contam com o apoio da Prefeitura de Porto do Mangue, J. Patrício, Compal e do grupo Patrício Metais.

Serviço
Exposição “Compartilhe o Reúso: Um olhar do outro lado do meio”, de Guaraci Gabriel
Vernissage: 10 de agosto, a partir de 17h
Visitação até dia 31 de agosto, de terça à domingo.

continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários