Dívidas aumentam mais

Publicação: 2019-06-13 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Luiz Antônio Felipe
laf@tribunadonorte.com.br

  Um novo levantamento, agora da CNDL/SPC Brasil mostra que o consumidor inadimplente  deve, em média, R$ 3,2 mil. O valor é 41% maior que a renda média mensal do trabalhador. Ou seja,  equivale a mais de três vezes o salário mínimo. As contas de água e luz são as que mais crescem em maio, com alta de 27%. Quem não paga conta acaba transferindo o ônus para quem paga em dia. Cada consumidor negativado têm, no geral, duas dívidas em aberto. Embora a somatória da dívida do brasileiro seja elevada, o levantamento mostra que um percentual relevante de pessoas deve quantias que não chegam a quatro dígitos.

Crédito
O governo faz um novo caixa com o crédito suplementar de de R$ 248,9 bilhões, aprovado pelo Congresso Nacional. Garante recursos para a área social e até os R$ 10 bilhões previstos para a equalização dos financiamentos do Plano Safra, 2029/2020, a ser anunciado na semana que vem. O Congresso virou responsável direto pela gestão do País.

Equilíbrio
Com uma nova lei, o Tesouro Nacional resgata R$ 70 bilhões em títulos, sendo R$ 3 bilhões  da Caixa Econômica. A lei de relacionamento com o Banco Central facilita a troca de títulos. Ainda está muito longe o equilíbrio das contas públicas, com as receitas aumentando mês a mês e as receitas minguando por conta da desaceleração da economia.  

 Devedor
 Os passivos da União superam os ativos em R$ 2,4 trilhões. Essa discrepância é mostrada em um levantamento do Tesouro Nacional apontando que  a dívida a descoberto é quase 70% maior que em  2015. A Previdência Social é a maior despesa, mas não pode ser desprezada a dívida consolidada que exige R$ 445 bilhões para a rolagem, por ano.

Desvios
A corrupção, em todos os níveis, tira dos brasileiros nada menos do que R$ 40 bilhões por ano. Seria desfiador estancar essa sangria? A conivência não deixa.

Custos menores
 Os custos da indústria brasileira caíram 1% no primeiro trimestre, revela a Confederação Nacional da Indústria (CNI). A queda foi puxada pela redução dos custos com bens intermediários nacionais e importados. Mesmo assim, constata a pesquisa “os produtos industriais brasileiros perderam competitividade nos mercados interno e externo.” A valorização do real  no primeiro trimestre fez com que os produtos importados ficassem mais baratos e isso se refletiu nos preços dos produtos nacionais”, afirma o gerente-executivo de Pesquisas da CNI, Renato da Fonseca.

Legislação
A reforma trabalhista teria colocado o Brasil na lista suja da Organização Internacional do Trabalho (OIT). O País será investigado por aprovar mudanças na lei que podem contrariar as convenções internacionais de trabalho. Pelo que se conhece ninguém perdeu direitos.

Chuvas
No mês de maio/19. as chuvas no RN ficaram acima da média dos últimos cinco anos (período de seca), para meses de maio. Mas, na média histórica de anos normais, as chuvas ficaram 12% abaixo. As chuvas que estão concentradas agora no Leste e no Agreste beneficiam com custos menores em irrigação  a hortifruticultura e cana-de-açúcar e outras atividades, com exceção da carcinicultura.

Solar
O Ministério de Minas e Energia disponibilizou no dia 30 de abril a minuta de portaria sobre garantia física de energia de usinas solares fotovoltaicas. Estabelece os procedimentos e as metodologias para cálculo e revisão dos montantes de garantia física de energia dessas usinas. As contribuições dos interessados devem ser enviadas ao ministério.

Alimentação
O brasileiro gasta mais da metade da renda com alimentação. Estudo do Cuponation mostra quanto o brasileiro gasta mensalmente com supermercado. Na prática, o site Finanças Real apontou que se um indivíduo ganha R$1.000, o custo com alimentação deveria ser de R$ 375. Se um indivíduo ganhar R$2.000, esse gasto deve ser de no máximo R$ 500.

Milho
A safra de milho do Nordeste dará uma boa contribuição à safra nacional. As vendas também batem recorde na Feira do Milho, ao lado da Ceasa em Natal, já  ultrapassando 500 mil milheiros. A feira fica  na área externa da Central de Comercialização da Agricultura Familiar, com 12 tendas de milho e comidas típicas.

Contrabando
A Aliança Latinoamericana Anticcontrabando (ALAC) tenta buscar formas de cooperação ao combate ao contrabando que traz enormes prejuízos para toda a sociedade. O contrabando movimenta na região recursos equivalentes a 2% do PIB da América Latina, ou cerca de U$S 210 bilhões anuais. O contrabando movimenta dinheiro igual ao PIB de 25 dos 32 países do continente.







continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários