Dúvidas, esperança e recomeço

Publicação: 2016-11-30 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
As autoridades do departamento de Antioquia avançam nas buscas pelos corpos das pessoas que viajavam no avião que caiu na madrugada desta terça-feira (no horário de Brasília), noite de segunda em Medellín. A delegação do time da Chapecoense estava a bordo do avião para a disputa da fina da Copa Sul-Americana. Os seis sobreviventes estão em três hospitais da região onde se recuperam de múltiplas fraturas e traumatismos. Um dos sobreviventes é o goleiro reserva Jackson Follmann, que teve uma da pernas amputadas. Setenta e uma pessoas morreram.
CARLOS SILVA/MAFALDA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDOA Arena Condá, estádio de Chapecó foi o destino de grande parte da população da cidade, ontem após a notícia da tragédia. Local serviu para homenagens da torcidaA Arena Condá, estádio de Chapecó foi o destino de grande parte da população da cidade, ontem após a notícia da tragédia. Local serviu para homenagens da torcida

As autoridades ainda investigam as causas do acidente. Inicialmente foi divulgada a informação que nenhum dos corpos e partes da aeronave tinham rastros de combustíveis. Uma das possibilidades é que o avião não voava com a reserva de combustível suficiente. Outra hipótese é que o piloto, ao perceber falhas mecânicas, esvaziou o tanque para que a aeronave não explodisse com o impacto no chão. Entretanto, essa hipótese ainda está sendo analisada pelos organismos responsáveis.

O informe da Aerocivil, órgão que cuida do funcionamento das aviação na Colômbia, disse que a aeronave caiu aproximadamente às 10h30 da noite desta segunda-feira (1h30 desta terça-feira no horário de Brasília). O avião vinha de Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia, e pertencia a empresa LaMia, cuja matrícula é LMI2933 RJ80.

A Aerocivil já encontrou as caixas-pretas do avião da empresa área LaMia, nas proximidades de Medellín, na Colômbia.

Segundo a agência, outro avião passou por problemas na região e parece ter tido prioriodade de pouso. O Airbus A320 da VivaColombia havia decolado de Bogotá na noite de ontem com destino à ilha de San Andrés, no caribe colombiano, relatou pane seca e pousou antes.

Carlos Iván Márquez Pérez, diretor da Unidade Nacional para Gestão de Riscos a Acidentes, confirmou  que houve o incidente, mas não disse se interferiu.  Os corpos  estão sendo levados para o aeroporto de Olaya Herrera, em Medellín, com o objetivo de identificá-los. Depois, serão levados para o Instituto de Medicina Legal.
FERNANDO VERGARA/ASSOCIATED PRESS/ESTADÃO CONTEÚDOResgate de corpos teve início logo que o tempo melhorou. Colombianos acharam caixas pretasResgate de corpos teve início logo que o tempo melhorou. Colombianos acharam caixas pretas

Título, ajuda e seguro contra rebaixamento
Os clubes brasileiros divulgaram um comunicado conjunto ontem para prestar solidariedade à Chapecoense após o acidente trágico de avião que culminou na morte de ao menos 70 pessoas, entre jogadores, comissão técnica, jornalistas e membros da tripulação. A intenção é reforçar o elenco do time catarinense e garantir que não seja rebaixado pelos próximos três anos.

A ideia surgiu em conversas entre as agremiações e participam da ideia o Palmeiras, o Corinthians, o Santos e o São Paulo, entre outros. O pedido é para que a CBF não permita o rebaixamento da Chapecoense para a Série B do Campeonato Brasileiro pelos próximos três anos e sugere que, caso o time fique na zona de rebaixamento, o 16º colocado vá para a segunda divisão.

Antes mesmo de times brasileiros divulgarem comunicado em conjunto se colocando à disposição para emprestar jogadores à Chapecoense e sugerirem criar uma cláusula garantindo que o clube catarinense permaneça na elite nacional próximos três anos, também o Racing, da Argentina, ofereceu atletas.

O Libertad, do Paraguai, colocou seu elenco à disposição para qualquer amistoso de homenagem aos jogadores da Chapecoense. Em Portugal, o Benfica também se ofereceu para ajudar "esportivamente" o clube catarinense.

O Atlético Nacional emitiu um comunicado oficial em que transmite solidariedade aos familiares das vítimas e pede que a Conmebol declare a Chapecoense campeão da Copa sul-americana.

Jogadores expressam pesar pela tragédia

"Impossível acreditar nessa tragédia, impossível acreditar no ocorrido, impossível acreditar que o avião caiu, impossível acreditar que atletas, seres humanos, estavam nesse avião, impossível acreditar que essas pessoas deixaram suas famílias .. é IMPOSSÍVEL ACREDITAR!!! Hoje o Mundo chora, mas o céu se alegra em receber campeões. Meus sentimentos a todos os familiares e amigos!!!!! FORÇA, CHAPE"
Neymar - Seleção Brasileira

"Meu mais profundo pêsame a todas as famílias, amigos e torcedores do elenco da Chapecoense".
Messi - Seleção Argentina

"Tristes notícias ao acordar hoje. Meus pensamentos estão com a Chapecoense e às suas famílias e amigos", escreveu em sua página no Twitter.
Wayne Rooney - Seleção da Inglaterra

"Nossos pensamentos estão com todos os afetados pela tragédia e suas famílias. Não temos palavras. Muita força"
Sergio Ramos - Seleção da Espanha

"Minhas orações a tragédia de hoje, peço a Deus que conforte os familiares, amigos e envolvidos. Meu mais profundo sentimento"
Kaká - Orlando City


continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários