Debate em alta

Publicação: 2019-07-12 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Pedro Alves encara seu trabalho em “Malhação” com bastante seriedade. Mesmo sabendo que a novela adolescente visa o entretenimento, o ator de 26 anos também destaca a função social de seu personagem. Na trama de Emanuel Jacobina, Pedro vive Guga, um jovem que está descobrindo sua sexualidade. “É uma responsabilidade muito grande, ainda mais no momento em que estamos vivendo. É delicado tocar nesse tema, porque, no Brasil, não é todo mundo que entende, mas acho que é um desafio bom e necessário”, valoriza.

Pedro Alves, ator
Pedro Alves, ator

Guga é um rapaz gente boa, de classe média alta e que vive uma confortável vida em Ipanema, bairro da Zona Sul do Rio de Janeiro. Apesar de iniciar a trama namorando Meg, papel de Giulia Bertolli, ele passa a se desinteressar pela menina cada vez mais. É justamente nesse momento que surge Serginho, vivido por João Pedro Oliveira. “O Guga descobre uma nova forma de amar. Ao lado do Serginho, o personagem começa a viver uma amizade, mas, ao longo da história, vira um amor. Ele não tem problemas com a sexualidade dele, mas tem medo da reação dos pais”, explica. Nos recentes capítulos do folhetim, Guga e a mãe Regina, de Karine Teles, se mostram cada vez mais incomodados com os comentários preconceituosos de Max, interpretado por Roberto Bomtempo. “O pai dele é conservador, é machista e sempre faz piadinhas com mulheres. Ele não imagina que o filho está encontrando um menino, até porque o Guga nunca demonstrou isso. Vai ser algo complicado quando ele descobrir”, aponta.

Paraíso dos livros
Os cenários de “Bom Sucesso”, próxima novela das sete, serão recheados de livros. Pelo menos seis espaços contam com livros em grande quantidade. Para isso, o acervo da cenografia, assinada por May Martins, Marcelo Carneiro e Ana Aline, comporta cerca de 30 mil livros. Além disso, a equipe de produção de arte, encabeçada por Eugenia Maakaroun, ainda produziu mais de 200 artes para estampar capas de livros de domínio público nas coleções da Prado Monteiro. “Alice no País das Maravilhas”, “Peter Pan” e “O Mágico de Oz” estarão nas prateleiras da editora e da biblioteca de Alberto, papel de Antonio Fagundes. “Pensamos em cada detalhe, desde o design da logomarca da editora até a elaboração das capas. Buscamos muitas referências de livros antigos, com capa de couro e ilustração de bico de pena em dourado. Cada capa tem uma cor e quando colocamos na estante as lombadas formam um degradê”, explica Eugenia.

Final por partes
O último episódio de “Carcereiros” será dividido em duas partes. Os eventos derradeiros da história de Adriano, papel de Rodrigo Lombardi, serão exibidos nos dias 23 e 30 de julho. A temporada completa está disponível para os assinantes do Globoplay.

Importante questão
Antônio Calloni finaliza “Assédio” com a sensação de dever cumprido. O ator, que interpretou o médico Roger Sadala, celebra o bom retorno da série dramática. “A repercussão da série foi fantástica. Tenho certeza que gerou muita discussão e, principalmente, encorajou muitas mulheres que sofrem e sofreram assédio. A vitória dessas mulheres corajosas e empoderadas foi o principal estímulo da série. O trabalho cumpriu sua missão”, valoriza. O último episódio de “Assédio” vai ao nesta sexta, dia 12.

Foi bem
Para a ótima série “Assédio”, da Globo. A produção chega ao fim como um dos grandes acertos da emissora. Com boa direção de Amora Mautner, o projeto construiu um “thriller” policial interessante, abordou temáticas atuais relevantes e reuniu um elenco de qualidade.

Foi mal  
Para o tom caricato de alguns personagens de “Topíssima”, da Record. Carlos e Lara, interpretados por Maurício Mattar e Cristiana Oliveira, apresentam um humor forçado e artificial.




continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários