Defesa afirma que decisão de afastar Raniere foi "drástica"

Publicação: 2017-07-25 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
O presidente afastado da Câmara Municipal de Natal, Raniere Barbosa, afirmou estar "surpreso" com a Operação Cidade Luz. Em nota enviada pela assessoria de imprensa da CMN, o vereador afirmou colaborar com as investigações. "O referido procedimento se encontra em fase de investigação e não houve condenação ou denúncia, não havendo de se falar de juízo de culpa de quem quer que seja". Raniere Barbosa foi afastado da presidência da CMN por ordem judicial e seu gabinete e o da Presidência da Casa foram alvos de cumprimentos de mandados de busca e apreensão pelo MPRN.

O advogado Kennedy Diógenes, que defende o vereador, disse que a “decisão judicial foi muito drástica e severa”. “Interviu diretamente num  Poder legitimamente constituído, um poder legislativo. Afastou um vereador, o mais bem votado na capital, e presidente da Câmara. Afastou das suas funções. Isso baseado em que? Baseado em absolutamente em nada. Somente em suposições de interferência de Raniere na Semsur”, declarou.

Raniere Barbosa está afastado da CMN por tempo indeterminado
Raniere Barbosa está afastado da CMN por tempo indeterminado

O advogado também relembrou, para embasar sua tese, o afastamento político de Raniere Barbosa do prefeito Carlos Eduardo. “Quando é fato público e notório que há tempos, o prefeito e Raniere vem em processo de desalinhamento político. Raniere não tinha nenhum tipo de ingerência desde que Antônio (Fernandes) assumiu a pasta em 2015. Há tempo que ele abandonou, que ele não tem nenhuma relação com a Semsur. Todas as provas citadas no procedimento, todas elas foram coligidas de junho de 2016 para a frente e Raniere saiu em 2015. Nos causa estranheza essa base jurídica usada pelo Ministério Público baseada em conjecturas, em meras suposições que de que Raniere tinha algum tipo de influência”, defendeu o advogado.

Ao longo da manhã de ontem, imóveis de Raniere Barbosa em Natal e em Pirangi, litoral Sul do Estado, além do gabinete dele na Câmara Municipal do Natal, foram alvos de cumprimentos de mandados de busca e apreensão. Foram recolhidos documentos, termos de contratos e mídias eletrônicas nos locais.  O vereador também não poderá se ausentar do RN ao longo das investigações, comparecer à CMN e em outros órgãos da Administração Municipal. A 7ª Vara Criminal de Natal determinou o afastamento de Raniere do mandado parlamentar e do cargo de presidente da CMN por tempo indeterminado.

continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários