Delatores omitiram áudios com Cardozo

Publicação: 2017-09-12 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Brasília (AE) - No documento em que pediu a prisão do dono do Grupo J&F, Joesley Batista, do diretor do grupo Ricardo Saud, e do ex-procurador Marcello Miller, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, aponta a omissão de outras gravações feitas por delatores da J&F, uma delas citando o ex-ministro da Justiça José Eduardo Cardozo.

Em depoimento prestado na Procuradoria-Geral da República na última quinta-feira, Saud admitiu que Cardozo foi gravado em um encontro na casa de Joesley. A gravação de Cardozo teria gerado uma "briga" entre Miller e os delatores porque o ex-procurador não teria aprovado a atitude. Segundo Saud, o então procurador disse que a gravação daria cadeia e que "iriam para cima dele, depoente (Saud), e José Eduardo Cardozo". Saud disse também ter estranhado que Marcello Miller tenha saído da sala após essa conversa mandando mensagens no celular. O conteúdo da conversa com Cardozo não teria sido revelado a Miller.

Segundo Janot, o fato de os delatores terem não apenas ocultado a gravação do ex-ministro, como também a levado para o exterior, mostra intenção de omitir os fatos, após orientação de Miller.

Por meio de nota, Cardozo disse que soube "com indignação" que o executivos tentaram criam uma "armadilha" na reunião em que discutiram contratação do seu escritório, o CM Advogados. Seu sócio teria feito um contrato com Joesley, mas, na ocasião, atuava em um outro escritório.

continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários