Denúncias coincidiram com apreensões

Publicação: 2019-03-15 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
“Eu cansei de falar sobre isso”, declarou Jairson Santiago, que fez os avisos à Secretaria dos Portos e Codern, nesta quinta-feira, 14, à reportagem. Membro da Receita Federal, Jairson disse que “já se falava da necessidade de um escâner naquela época, da falta de vigilância eletrônica eficaz, da necessidade de melhoria do nível de segurança”. A época de todas essas denúncias coincidiu com a primeira apreensão de drogas em solo europeu de cargas exportadas pelo Porto de Natal, na Espanha. “Já se falava dessas apreensões de drogas na Europa”, afirmou.

Jairson Santiago assegurou que as denúncias foram ouvidas pelos representantes da Companhia Docas do Rio Grande do Norte (Codern) e pela Secretaria Nacional dos Portos durante as reuniões do Conselho de Autoridade Portuária (CAP). As declarações estão de acordo com o que está registrado nas próprias atas das reuniões. “O que eles argumentavam é que estavam providenciando as soluções, mas que não tinham receita para isso, que o dinheiro não era enviado”, conta.

As falhas relatadas por ele são semelhantes às observadas pela empresa francesa CMA CGM. Em relação às câmeras de vigilância, além do funcionamento de algumas e falta de vigilantes na sala de monitoramento, ele acrescenta que “o sistema funciona um dia, outro não”. “E eu disse que era preciso um sistema eficaz de vigilância porque senão haveria o risco de desalfandegamento”, continuou.

O desalfandegamento é a suspensão das atividades do Porto e cabe a Receita Federal. Para isso, segundo Jairson, existe o pré-requisito de duas advertências no período de um ano. Foi o que aconteceu, entre 2017 e 2018. Além dessas, ainda existiu outra em 2012. Segundo ele, a Receita já poderia desalfandegar o local da próxima vez.

A reportagem tentou contato com Emiliano Rosado, então diretor técnico e comercial da Codern e com Goldwin Zimmermann, que presidiu o CAP durante os avisos, mas não conseguiu.

A matéria foi atualizada às 10h30 desta sexta-feira, 15 para inclusão da resposta do Ministério da Infraestrutura, enviada depois do fechamento desta reportagem









continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários