Dependência do Bolsa Família sobe no RN em 2020

Publicação: 2021-01-23 00:00:00
A quantidade de beneficiários do Bolsa Família no Rio Grande do Norte cresceu 7,3% ao longo do ano de 2020. De acordo com dados do Ministério da Cidadania, o Estado potiguar começou o ano com 338.754 beneficiários, número que, em novembro, havia crescido para 363.563. O ano também teve o mais baixo número de benefícios bloqueados ao longo dos últimos anos no Estado, com 10.294 benefícios retidos no total, 89,4% a menos do que em 2019, quando ocorreram 97.523 obstruções. 

Créditos: Magnus NascimentoApós perder o emprego num hotel em Natal, Juliana Greyce precisou recorrer novamente ao Bolsa Família para manter famíliaApós perder o emprego num hotel em Natal, Juliana Greyce precisou recorrer novamente ao Bolsa Família para manter família

O número de benefícios cancelados também teve uma queda brusca, de 50.719, em 2019, para 9.107, em 2020. A baixa quantidade de cancelamentos e bloqueios pode ser explicada pela Portaria 443, de 20 de julho de 2020. Com validade inicial de 180 dias, a portaria suspendeu as revisões e atualizações do Cadastro Único, assim como os cancelamentos do benefício. Na última segunda-feira (18), uma nova prorrogação da medida foi publicada no Diário Oficial da União, e ela deverá valer por mais 90 dias. 

A medida foi tomada a partir de um pedido dos próprios municípios, que precisaram adaptar as atividades de cadastro durante a pandemia. O objetivo do adiamento é evitar aglomerações nos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS) e centrais de Cadastro Único, para reduzir as chances de contágio pelo novo coronavírus. Além disso, o cadastro demanda a apresentação de documentos como cartão de vacina e comprovante de matrícula, o que se tornou mais difícil de conseguir para as famílias durante a pandemia em razão do fechamento das escolas e sobrecargas das unidades de saúde. 

Em Natal, por exemplo, a pandemia fez com que o número de atendimentos diários tivesse de ser reduzido. Diariamente, antes da pandemia, o município tinha uma média de 100 atendimentos diários por unidade, número que foi reduzido para 60 desde a decretação da pandemia pela Organização Mundial da Saúde (OMS). 
Paralelamente, o número de pessoas que perderam os empregos e passaram a necessitar do benefício cresceu em todo país.

É o caso de Juliana Greyce, de 29 anos. Ela trabalhava como camareira em um hotel de Natal e foi demitida logo nos primeiros meses da pandemia. Sozinha e com dois filhos para criar, ela, que já havia cancelado o Bolsa Família quando conseguiu um emprego, precisou fazer um novo cadastro. 

“Tentei receber o Auxílio Emergencial e o Bolsa Família. Meu pedido para o auxílio foi negado, e foram meses muito difíceis”, relatou Juliana Greyce. Hoje, ela vive com os dois filhos na Ocupação Emmanuel Bezerra, no prédio da antiga Faculdade de Direito da UFRN, na Ribeira, e consegue se manter graças às doações feitas por populares. 

Sua inserção no Cadastro Único foi feita novamente em dezembro, e ela aguarda o prazo de três meses demandado pelo Ministério da Cidadania para aprovação. Ela foi uma das pessoas beneficiadas pela Portaria que dispensou a exigência de apresentação dos documentos para o cadastro. “Eu tive dificuldade em relação à documentação escolar da minha filha, porque a escola estava fechada. Mas fiz o cadastro normalmente e a assistente social disse que quando as aulas voltarem, posso pegar o histórico e apresentar lá", relatou. 

Enquanto aguarda a aprovação do cadastro, Juliana continua a buscar trabalho, e lamenta ter tido que voltar a se inscrever para receber o benefício. “O que eu queria mesmo era um emprego, um trabalho. Esse é um benefício que dá o mínimo para eu poder comprar um remédio para meus filhos, algo básico. Não dá para sustentá-los mesmo”, lamentou.

Bolsa Família no RN
Benefícios em 2020

Janeiro: 337.754
Novembro: 363.563

Média anual de famílias beneficiárias

2018 - 350.172
2019 - 351.058
2020 - 356.293

Total de benefícios concedidos

2018 - 69.556
2019 - 22.064
2020 - 30.845

Total de benefícios bloqueados

2018 - 148.540
2019 - 97.523
2020 - 10.294

Total de benefícios cancelados

2018 - 70.149
2019 - 50.719
2020 – 9.107

Fonte: Ministério da Cidadania













Leia também: