Deputado aponta incoerência

Publicação: 2019-05-16 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
O deputado estadual Coronel Azevedo (PSL) fez um pronunciamento marcado por críticas ao Governo do Estado. O parlamentar disse que a governadora Fátima Bezerra (PT) realiza uma gestão que agrada aos poderosos e se distancia do discurso feito no palanque. “É uma incoerência, porque a governadora Fátima Bezerra decretou calamidade pública devido às dificuldades financeiras, no entanto chegou a esta Casa uma proposta de reajuste para alguns servidores, como auditores e procuradores, para que algumas categorias possam receber ainda mais desse Estado quebrado”, criticou. O deputado afirmou que enquanto o reajuste é proposto para algumas poucas categorias, muitos servidores sofrem com salários baixos e atrasados. “Alguns estão tendo que passar pelo constrangimento de sofrer busca e apreensão em suas residências, perdendo bens porque não estão podendo honrar com suas obrigações, nem mesmo pagar medicamentos indispensáveis, com nomes sujos no SPC e Serasa”, disse.

Tratamento de dependentes
O Senado aprovou o Projeto de Lei da Câmara que vai possibilitar o tratamento compulsório de dependentes químicos no país. O relatório favorável foi do senador Styvenson Valentim (Pode-RN). Após nove anos tramitando no Congresso Nacional, o texto, de autoria do então deputado e agora ministro da Cidadania, Osmar Terra, foi aprovado, sem alterações, quase por unanimidade; apenas com o voto contrário do senador Humberto Costa (PT-PE).

Segurança nas urnas
A segurança do processo eletrônico de votação e a inexistência de fraudes no uso da urna eletrônica foram destaques, ontem, em seminário organizado pelo Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte (TRE-RN). O secretário de Tecnologia da Informação do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Giuseppe Dutra Janino, destacou que não há possibilidade técnica das urnas fraudadas e disse que isso ficou demonstrado em 23 anos de uso deste tipo de equipamento no país. “Nós abrimos esse novo ciclo de trabalho já com um convite à sociedade para participar, para questionar, para debater e para se manter esclarecida sobre todo o processo eleitoral e, junto conosco, torná-lo cada vez mais transparente”, afirmou a diretora da Escola Judiciária Eleitoral, juíza Érika Paiva.

“Defunto eleitoral”
O ex-ministro Ciro Gomes fez enfáticas críticas ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. “Eu conheço o Lula. Ele é um encantador de serpentes, um enganador profissional. Não tem um companheiro com quem ele não tenha sido desleal ao longo da vida inteira, ele cultiva isso", disse Ciro Gomes. O ex-ministro acrescentou que o petista é um "defunto eleitoral", uma vez que, diante da condenação em segundo instância, está inelegível até chegar quase aos 90 anos. “No PT todo mundo sabe que, do ponto de vista eleitoral, o Lula é carta fora do baralho. Como manejar este defunto eleitoral é muito delicado para todos eles. Ele fez uma lei que determina que num País com quatro graus de jurisdição, no 2º grau de condenação, você perde os direitos políticos. Ele está inelegível até fazer 90 anos”, apontou Ciro Gomes em entrevista ao programa Provocação, da TV Cultura.

“Está por vir”
O vereador carioca Carlos Bolsonaro (PSC-RJ), filho do presidente Jair Bolsonaro, compartilhou em sua conta no Twitter um vídeo que trata da dificuldade do governo para aprovar no Congresso a Medida Provisória 870, que estabeleceu a atual estrutura de ministérios. Caso a MP não seja votada até 3 de junho, o próprio governo avalia que teria de recriar até dez ministérios, passando das atuais 22 pastas para até 32. "O que está por vir pode derrubar o capitão eleito. O que querem é claro", escreveu Carlos. No vídeo, intitulado "Já está tudo engatilhado em Brasília para derrubar Bolsonaro", o influenciador Daniel Lopez afirma que o orçamento não contempla um eventual aumento de gastos com novos ministérios.

Substituições na saúde
A governadora Fátima Bezerra assinou uma série de exonerações na Secretaria estadual de Saúde. Foram substituídos chefes de núcleos de Recursos Humanos e diretores de unidades em Natal e no interior. As informações são de que ela estaria contemplando aliados ao demitir nomes que tinham sido escolhidos pelo secretário estadual Cipriano Maia. As exonerações foram publicadas, ontem à noite, na edição do Diário Oficial do Estado. A versão impressa desta edição do DOE circula nesta quinta-feira.




continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários