Derrotas alteram discurso de otimismo no Alvinegro

Publicação: 2018-07-11 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
O discurso dos atletas do ABC hoje já é igual ao utilizado no ano passado, quando a equipe amargava uma fase bem semelhante na Série B e que não terminou bem para o clube potiguar. “É difícil até de falar. Estamos buscando, nos doando, mas o resultado não vem”, quem diz isso é Anderson Pedra, um atleta que está há três temporadas no clube convivendo com bons e maus momentos. Para o meio-campista não existe falta de esforço e o que pode estar havendo em algumas situações é a falta de sorte mesmo.

Técnico Ranielle Ribeiro vai voltar a modificar o grupo em busca do time ideal para atuar sábado
Técnico Ranielle Ribeiro vai voltar a modificar o grupo em busca do time ideal para atuar sábado

“Tem uma falta de sorte, também. A gente cria e a bola não entra, daí o adversário vai lá e mata o jogo. O momento não é bom e nos cabe trabalhar e buscar reverter o mais rápido possível”, destacou Pedra.

Um breve histórico da Série C demonstra que apesar de estar perto de ser puxado para o olho do furacão, apenas um desastre pode jogar o clube potiguar para o rebaixamento no Brasileirão. Os números demostram que chegando aos 21 pontos dificilmente o Alvinegro irá sofrer o amargor de uma nova queda de divisão, até por que vai enfrentar na sequência, nas duas próximas rodadas, duas equipes que também não vivem uma de suas melhores fases: Confiança e Salgueiro. É justamente nesses jogos em casa que Pedra aposta para, primeiro tranquilizar o grupo em termos de “degola”, depois de o Alvinegro buscar amealhar pontos para tentar beliscar a quarta e última vaga para segunda fase dentro do grupo A.

“Temos dois jogos seguidos em casa e não podemos pensar em outro resultado que não seja a vitória. Vamos conversar, trabalhar e cada um dar o seu melhor para conseguirmos os resultados que precisamos”, destacou Pedra.

Num levantamento realizado no período de 2014 a 2017 pode ser verificado que o quarto colocado dentro do grupo A, em três das quatro edições garantiu presença na segunda fase atingindo a marca de 26 pontos ganhos. Em 2017 o nível de corte ficou estabelecido em 25 pontos e apenas em 2015 é que a margem foi superior, chegando aos 31 pontos.

Para atingir o patamar determinado pela comissão técnica (31), o ABC terá de apresentar um aproveitamento de 86,6% e para atingir a média e tentar acabar a fase de classificação no G-4, o ABC terá de conquistar 11 dos 15 pontos que ainda tem a disputar, o que representa obter 73,3% da pontuação que resta.


continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários