Economia
Desafio: conquistar e manter a vaga
Publicado: 00:00:00 - 05/10/2014 Atualizado: 17:44:40 - 04/10/2014
Vinícius Menna
Repórter

Com a proximidade do fim do ano, o comércio começa a se preparar para contratar os empregados temporários que darão suporte às vendas do período. Segundo a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Rio Grande do Norte (Fecomércio-RN), neste ano, a previsão é que 6 mil vagas desse tipo sejam abertas no Estado, mas a efetivação em vagas fixas deve ser menor que em anos anteriores, com a desaceleração nas vendas sentida no decorrer do ano. Por isso, especialistas apontam que terão mais chances aqueles profissionais que tenham uma formação mais específica na área de vendas. E para ser efetivado no cargo quando janeiro chegar, a recomendação é se dedicar como se a vaga já fosse permanente.

A estimativa da Fecomércio de que em todo Estado serão abertas 6 mil vagas representa 100 a mais do que em 2013 no mesmo período. “É um crescimento bem menor do que de 2012 para 2013”, diz o presidente da entidade, Marcelo Queiroz. Segundo ele, o país vivenciou uma retração no consumo em 2014 e é possível que por isso o índice de efetivação dos empregados temporários em vagas fixas no período seja impactado.

“Geralmente, temos absorção entre 30% e 40% das vagas de temporários, mas com certeza esse percentual deve ser menor neste ano. Ainda não dá para estimar o quanto, mas deve ser menor”, afirma Marcelo Queiroz.

Leia Mais

A concorrência vai ficar maior e os desafios para a contratação aumentam no cenário atual. Essa é a avaliação de Isabela Mendonça, coordenadora do curso de Gestão de Recursos Humanos da Universidade Poriguar (UnP). “Quem vai se sobressair é quem já tem algum conhecimento na área, apresenta um bom currículo e uma postura profissional”, diz.

Foi mostrando pró-atividade que Erika da Silva, de 22 anos, conseguiu conquistar sua vaga fixa em uma loja da Imaginarium. Na época com 19 anos, ela conseguiu a vaga temporária para embalar presentes. No ano seguinte ela passou a ser chamada em datas comemorativas, mas sempre como um extra.

“Eu fazia desde as embalagens, até arrumar a loja. Às vezes as vendedoras estavam ocupadas e eu ajudava. Então, no final de dezembro, a dona da loja falou que tinha gostado do meu atendimento e me perguntou se eu gostaria de ser vendedora”.
Santos: De temporário a coordenador de vendas - “É preciso mostrar interesse”
Também mostrando bons resultados em dezembro, como temporário, Luan dos Santos, hoje com 24 anos, conseguiu seu lugar ao sol nas lojas da TNG. Ele começou no fim de 2012 e, após se posicionar como o segundo com mais vendas entre os vendedores, não demorou a garantir sua vaga permanente. “É importante mostrar interesse, fazer as coisas com vontade”, diz.

Leia também