Deslocamento de alunos preocupa

Publicação: 2020-08-15 00:00:00
A+ A-
O deslocamento dos estudantes de casa para as aulas presenciais foi um dos principais motivos para a prorrogação da suspensão das escolas no Rio Grande do Norte. A justificativa foi dada pelo secretário estadual de Educação e Cultura, Getúlio Marques, nesta sexta-feira, 14. Segundo Marques, o Comitê Técnico  Científico da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap/RN) entendeu que apenas os protocolos de biossegurança escolares, já adotados pelas escolas particulares, por exemplo, não garantiria total segurança aos estudantes.

Créditos: Sandro MenezesGetúlio Marques explicou, em coletiva de imprensa nesta sexta-feira, 14, motivos pelos quais o Governo do Estado adiou retomadaGetúlio Marques explicou, em coletiva de imprensa nesta sexta-feira, 14, motivos pelos quais o Governo do Estado adiou retomada


“A questão não é só dentro da escola. A escola pode estar com toda sua segurança, mas ainda não temos a segurança no deslocamento. Ainda devemos manter o distanciamento social. E esse distanciamento social, mesmo para alunos de escola particular, não é garantido no seu trajeto até a escola. Há alunos de escolas particulares que utilizam ônibus e trens", afirmou Marques.

A prorrogação do decreto da suspensão das aulas aconteceu nesta quinta-feira, 13, até o dia 18 de setembro para todas as escolas potiguares, públicas e privadas. Segundo Getúlio Marques, cerca de 70% das famílias potiguares são contra o retorno das aulas neste momento. “A equipe da Secretaria Estadual de Educação já fez visitas em algumas escolas para ver o protocolo de segurança, mas a questão é que não se reduz somente a esse espaço", afirmou o secretário.

Marques ainda afirmou que um levantamento feito pelas próprias escolas particulares, levado ao Comitê da Educação, mostrou que cerca de 70% das famílias não querem o retorno das aulas neste momento. “Esse é um dado até favorável para que a gente possa discutir com o Comitê porque se esses alunos querem o retorno, vamos conversar com o Comitê Científico para ver qual a situação desses alunos para poder preservá-los", disse. Na semana que vem, o secretário deve se reunir com o Comitê Técnico da Sesap e com os representantes das escolas privadas para avaliar a situação.

A governadora Fátima Bezerra, também presente na coletiva, reafirmou que o entendimento pela prorrogação das aulas foi do Comitê Técnico Científico da Sesap/RN. Fátima já havia dado declaração semelhante nesta quinta-feira, 13, nas redes sociais. “Nossos especialistas apontaram que apesar da melhoria no quadro da pandemia no Estado ainda não há, neste momento, condições sanitárias favoráveis para o retorno às aulas", declarou.

Dados epidemiológicos
O Rio Grande do Norte confirmou nesta sexta-feira, 14, mais 390 casos do novo coronavírus e 5 mortes causadas pelas complicações da doença. A Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap/RN) contabilizou 57.467 casos e 2.041 mortes. Nas 24 horas anteriores à divulgação dos últimos dados, foram dois óbitos registrados e o restante decorre de confirmação de óbitos que estavam em investigação.


Ainda há outras 21.856 pessoas suspeitas de estarem com a Covid-19 e 204 mortes investigadas. A Sesap também afirmou que 96.366 pessoas foram testadas e não apresentaram a presença do novo coronavírus e 51.876 casos ficaram inconclusivos.

A taxa de ocupação dos leitos públicos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e semi-intensivo estava em 52%. Nesta sexta-feira, 163 pessoas estavam internadas em leitos críticos, e 112 leitos vagos. Outros 38 leitos se encontravam bloqueados, a maioria por manutenção. “A gente percebe uma redução no número de pessoas internadas a cada dia”, afirmou a subsecretária de planejamento e gestão da Sesap, Maura Sobreira.

A região com a maior taxa de ocupação de leitos críticos nesta quinta-feira eram o Seridó e o Alto Oeste. Segundo o sistema Regula RN, 71,6% dos leitos do local estavam ocupados em ambas regiões. A região metropolitana de Natal, que foi a região mais atingida pela covid-19 entre junho e julho, tinha 52,2% de ocupação dos leitos. No Oeste, a taxa de ocupação era de 66%.

Abertura de leitos
O Governo do Estado anunciou a abertura de mais leitos na rede hospitalar. No Hospital Regional de Açu serão abertos 10 leitos de UTI na próxima segunda-feira, 17. No Seridó, a governadora Fátima Bezerra destacou a abertura de mais 5 leitos; em Pau dos Ferros (Alto Oeste), também 5 leitos gerais. Apodi, no Oeste, vai receber mais dois leitos de UTI.