Dia dos Pais: Hoje, um domingo especial

Publicação: 2020-08-09 00:00:00
Henrique Eduardo Alves
Diretor Presidente da Tribuna do Norte
 
Na homenagem, na essência, na saudade, no amor emocionante. Dia dos Pais! Mesmo nesses momentos de tantas dores, distâncias, beijos e abraços não dados, esse dia nos faz pensar, meditar realmente.

Os pais que somos, que temos. Ou que tivemos... Acertos e erros, caminhos da vida, lições de solidariedade.

Em todas essas pegadas do nosso caminhar, uma coisa é certa: o amor de pai, e do Pai, vem do espírito. Do bem, do perdão, do abençoar, do dar as mãos, do chegar sempre junto...

Nesses simples conceitos que alinhavo aqui, tenho um exemplo maior. Meu pai, Aluizio Alves. De alegrias e tristezas, de encontros e desencontros, de presenças e ausências.

Mas atitudes com traço inconfundível: a solidariedade!!

E como sou testemunha viva desse sentimento!! Como se fosse uma tatuagem escrita no meu corpo. Solidariedade!

Menino ainda, o RN sabe, e como soube..., a brutal violência que se abateu sobre nós! Meu pai cassado pelo AI-5 da ditadura militar,1968! No auge de sua vida pública. Dor imensa.

Ele no Rio e eu aqui, em José Gobat. Esperando a Voz do Brasil que era apenas a repugnante leitura desses atos.

Foi quando vi e ouvi na antiga Confeitaria Atheneu personagens que já esqueci comemorando “a cassação de Aluizio.”

Confirmamos com ele ao telefone, quando o ministro Magalhães Pinto chegava a nossa casa na Alexandre Ferreira 410. E o Repórter Esso noticiava o fato.

A primeira lição de vida que me ensinou. A sua fortaleza, desassombro, o seu “sem ódio e sem medo".

Lembrei muito dele nesses dias quando numa aula de Filosofia que assistia, ouvi a frase: “para se levantar tem que ter a queda.”

E como se levantou na dor e pelo amor ao seu querido RGN!

Comecei, por ele, na estrada linda que abriu, a tentar seguir suas pegadas. 21 anos. Desafios de todo tamanho. Não era apenas Henrique, o filho de Aluizio. 

Passei a ser “ Henrique, o filho do cassado Aluizio", naqueles tempos sombrios! 

Busquei suas palavras, “sem ódio e sem medo” e segui em frente. Cidades,estradas, dias, noites, madrugadas.

Relação escrita à mão a quem procurar. Portas a bater. Muitos encontrei. Outros saíam até das cidades. Lembrava dele, cabeça erguida. Não desanimar nunca.

Tudo passa. Fé em Deus. Mas, uma alegria maior! Quando a decepção acontecia, amigos apenas do poder de ontem se escondiam. Mas, como meu pai sempre dizia, os mais pobres e mais humildes sempre chegarão.

Não tem tempo ruim no carinho deles. E assim fiz com o encorajamento dele, em todos os dias!

E assim comecei na longa caminhada. Quando ele se foi ao descanso de Deus, pensei como enfrentar. Dor maior que qualquer luz. Mas não! Ulisses Guimarães me ensinara que “resistir é preciso.”. E fui em frente!

Nesse Dia dos Pais, toda uma recordação me vem à cabeça e ao coração. Sentimentos, lembranças, compreensão, gratidão.

Aos filhos dos pais de hoje, aos pais com seus filhos, aos pais e filhos que já se foram, uma oração de fé e Esperança, nesses dias difíceis. De um Brasil mais difícil ainda...Dia dos Pais, eles.

E outra frase que guardei para simbolizar e homenageá-los: “o amor é um todo. Somos apenas parte dele".

Com certeza e emoção, os pais são uma generosa e firme parte desse amor!! 
As bênçãos de Deus a todos os pais desse querido RGN!

Aos meus filhos, Andressa, Eduardo e Pedro Henrique. Que eu seja sempre uma significativa parte desse amor!


Os artigos publicados com assinatura não traduzem, necessariamente, a opinião da TRIBUNA DO NORTE, sendo de responsabilidade total do autor.