Diá prevê dificuldades para o ABC na segunda fase

Publicação: 2020-11-24 00:00:00
A felicidade pela conquista de uma das vagas do grupo 4 para segunda fase da Série D no ABC, não foi suficiente.para superar a tensão vivida pelo técnico Francisco Diá, para quem o clube natalense terá muita dificuldade para seguir adiante no Brasileirão. Para ter alguma chance na fase do mata-mata segundo o comandante alvinegro terão de chegar mais reforços, uma vez que Berguinho e João Paulo são praticamente cartas fora do baralho para as próximas rodadas. O treinador ressaltou que após a saída de alguns titulares, a equipe não conseguiu se reencontrar novamente.

Créditos: Rennê CarvalhoCom elenco ainda limitado, o técnico Francisco Diá alerta para os riscos da fase mata-mataCom elenco ainda limitado, o técnico Francisco Diá alerta para os riscos da fase mata-mata

Diá também criticou o nível técnico dessa primeira e acredita que mesmo com as baixas, o ABC poderia ter uma caminhada mais fácil rumo a classificação. "Estou feliz com a classificação, mas acredito que a equipe teria condições de render mais. Na minha percepção era para equipe classificar com duas ou três rodadas de antecedência, o nível técnico da Série D está muito baixo nessa primeira fase", disse o treinador.

A parada da pandemia mexeu muito com o nível da atuação da equipe, que na fase inicial da temporada estava "voando" com boas apresentações tanto na Copa do Nordeste quanto no Estadual. A queda de rendimento fez a comissão técnica acender a luz de alerta. "Após a pandemia o ABC teve uma dificuldade grande em seus jogos, onde não conseguiu repetir as atuações da fase inicial do calendário, como o que mostrou na Copa do Nordeste e no Estadual. O fato de termos encontrado essa dificuldade nos preocupa em relação ao mata-mata. Perdemos alguns titulares e a equipe nunca mais se encontrou e nem conseguiu ser a mesma do início da temporada", ressaltou.

Em relação as maiores dificuldades encaradas nessa Série D, além dos adversários, ele enumerou as longas distâncias, bem como o alto nível de contusão no elenco. Além, é claro de algumas baixas consideradas importantes no elenco. "Não foi só a perda dos atletas titulares, mas a competição em si, esses 14 jogos foram bem desgastantes. Diferente de anos anteriores tivemos de atuar no meio e nos finais de semana, com viagens longas chegando a 10 ou 11 horas e sendo obrigados a atuar em campos ruins. O nosso índice de lesões foi muito grande. Perdemos atletas importantes como João Paulo, Pedro, Berguinho. É difícil o João disputar inclusive o mata-mata, já que sofreu uma lesão muscular de grau dois. Pedimos contratações porque estávamos cientes das dificuldades que encontraríamos", afirmou.

Na opinião do treinador abecedista, a equipe tinha necessidade de ter mais três ou quatro peças de reforço, porém o mercado estava complicado e foi difícil conseguir esses atletas. Alguns que chegaram, segundo o Francisco Diá, não renderam aquilo que a era esperado. 

A decisão da primeira colocação vai ocorrer na sexta-feira a tarde, para quando a CBF definiu todos os jogos do grupo 4. Nele a equipe já deverá apresentar como novidades as estreias do atacante Jairinho e do zagueiro Héliton. "Jairinho já vinha atuando na segunda divisão do Campeonato Carioca e vai ser oficializado. Já quero contar com o atleta diante do Itabaiana. Héliton, apesar de ter se apresentado bem fisicamente, tem um período sem atuar.
 Mas vinha se cuidando e necessita de ritmo de jogo. Depende do da situação poderá ser usado um tempo. Nesse jogo não poderemos contar com Dieyson e nem o Lelê. A gente necessita de mais um meia atacante, esse atleta chega para o mata-mata e deverá nos ajudar bastante. Berg e João Paulo, como disse, dificilmente vão estar à disposição", reforçou.

Com o contrato perto de se encerrar, Berguinho pode até deixar o clube, uma vez que não houve o entendimento entre as diretorias do ABC e do Oeste para prorrogar a estada do atleta em Natal.