Diá reconhece dificuldade do ABC

Publicação: 2020-07-24 00:00:00
O ABC não apresentou nenhuma das virtudes da equipe que conquistou o primeiro turno do Campeonato Estadual e vinha liderando o segundo. O tempo de paralisação, superior a 100 dias, foi fatal para o entrosamento do grupo, que mesmo mantido, deu sinais de que regrediu em termos de preparação. A equipe foi facilmente batida pelo CSA e não teve a menor chance de tentar outro resultado diante dos alagoanos, que se encontram num período de preparação bem diferente do alvinegro, com 15 dias a mais de trabalho.

Créditos: Comunicação ABCDiá e sua comissão técnica terão trabalho para ajeitar o ABCDiá e sua comissão técnica terão trabalho para ajeitar o ABC



Com a derrota a equipe potiguar cai da quarta para quinta colocação dentro do grupo e viu o Sport Recife ficar com a vaga que esteve próxima das mãos dos potiguares. O comandante abecedista, Francisco Diá, lamentou o resultado e a falta de uma preparação adequada, mas também elogiou o esforço do seu grupo, frente a todas as dificuldades enfrentadas.

“Sabíamos que iríamos sentir. Uma preparação de apenas dez, 12 dias, depois de mais de cem dias parado, não seria ideal. Ainda tivemos muitas dificuldades durante a semana. Tinha dia que treinava com Jailson, tinha dia que treinava com o João Paulo, com o Pedro. Tinha dia que não contava com nenhum deles. Valeu pelo esforço da rapaziada, mas não deu”, disse o treinador, que na partida diante do CSA não pode contar com Jaílson.

O jogador apresentou o PCR positivo e acabou afastado da delegação que foi para o confronto no Centro Esportivo Praia do Forte, em Mata de São João (BA). O meio-campista apresentou uma infecção por Covid-19 em junho. Passou por tratamento e foi acompanhado pelo Departamento Médico. O meia fez o teste de sorologia junto com o grupo no dia 1º de julho, em Natal (RN), porém seguiu com persistência do PCR e apresentou IGG positivo, ou seja, havia desenvolvido anticorpos para a doença. Já em Salvador (BA), junto com a delegação, realizou dois testes promovidos pela CBF, seguindo o protocolo da entidade, sendo um com resultado positivo e outro com resultado negativo.

Como o jogador vinha treinando com o grupo, mas apresentou o PCR positivo no dia 15 de julho, depois do teste realizado no dia 14, o primeiro feito na capital baiana, mesmo estando assintomático foi afastado das atividades. O corte atendeu ao protocolo da CBF, ele determina que para o jogador se mostrar apto a participar de jogos ou treinos, precisa apresentar dois testes negativos seguidos, Jailson realizou outro exame, em um laboratório de Salvador (BA), por iniciativa do clube, mas o resultado voltou a dar positivo.

O atleta fará novos testes para saber se poderá continuar treinando junto com o elenco ou se retornará ao isolamento exigido pelo protocolo do clube. Antes de tomar a decisão, o diretor médico abecedista, Roberto Vital irá consultar o infectologista Francisco Araújo, responsável pela comissão de saúde da Federação Norte-rio-grandense de Futebol (FNF) para saber que tipo de procedimento deverá ser utilizado.