Dilma entrega ramal da transposição

Publicação: 2015-08-22 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Vinte e um anos depois de o projeto ter sido concluído pela equipe do então ministro da Integração Regional no governo Itamar Franco, Aluízio Alves, o primeiro trecho da transposição de águas do rio São Francisco foi inaugurado ontem pela presidente Dilma Rousseff, em solenidade que contou com a presença de quatro governadores do Nordeste, entre eles, Robinson Faria,  e de parlamentares da base aliada, como o senador Garibaldi Alves Filho, que contruiu no Rio Grande do Norte o maior programa de recursos hídricos da região, na década de 1990.
Ddivulgação/Ministério da Integração NacionalPrimeiro trecho da transposição, inaugurado ontem, tem 46 quilômetros e vai levar água do São Francisco da estação de bombeamento de Cabrobó até reservatório no município de Terra NovaPrimeiro trecho da transposição, inaugurado ontem, tem 46 quilômetros e vai levar água do São Francisco da estação de bombeamento de Cabrobó até reservatório no município de Terra Nova

O empreendimento, que terá 477 quilômetros de extensão, vai garantir a segurança hídrica de 12 milhões de pessoas em 390 municípios espalhados pelos estados de Pernambuco, Ceará, Paraíba e Rio Grande do Norte. O trecho inaugurado ontem tem pouco 45,9 quilômetros.

Em discurso de cerca de meia hora, a presidente Dilma Rousseff defendeu a obra de críticas. Ela destacou as dimensões do projeto, atribuindo ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a “vontade política” que tirou a transposição do papel. Segundo Dilma, a ideia de levar as águas do São Francisco para regiões mais secas do Nordeste existe desde que o Brasil era governado pelo imperador Pedro I.

“Há nessa obra uma vontade política. É uma obra que esteve colocada como possibilidade durante essa quantidade de anos, mais de 150 anos. Foi preciso que um nordestino fosse eleito presidente, que tivesse sido praticamente expulso de sua casa e tivesse ido para São Paulo e soubesse o preço, o custo em termos de vida, em termos de perspectiva de futuro e esperança, que a seca impunha para a população do Nordeste. Aí, a vontade de fazer foi muito importante.”

Dilma acrescentou que a obra de transposição soma-se à construção de adutoras e canais pelo Nordeste como estratégia, de modo que a população da região possa conviver com a seca sem as consequências negativas da estiagem sobre a vida e a produção agropecuária.

“Os primeiros relatórios de que havia seca no Nordeste são do século 16, ou seja, há mais de quatro séculos sabemos que a região sofre com a seca. O objetivo dessa obra é ajudar a nós, brasileiros, nordestinos, a conviver com a seca. Impedir que ela ocorra, não podemos. Só Deus sabe se tem ou não tem chuva. O que podemos fazer e fizemos? Armazenar água, trazer água de um lugar e garantir que, na hora da seca, a gente possa recorrer àquela água”, afirmou.

A Estação de Bombeamento EBI-1 elevará a água do São Francisco por até 36 metros e permitirá que ela percorra 45,9 quilômetros dos canais e chegue a dois reservatórios. A obra faz parte do Eixo Norte da transposição. Segundo Dilma, todo o projeto será concluído até dezembro de 2016. De acordo com o governo, a transposição beneficiará diretamente 12 milhões de pessoas.

Enquanto a totalidade das obras não é concluída, explicou Dilma, o governo continuará atendendo a população com carros-pipa. “Nós vamos continuar com os carros-pipa enquanto não passar essa crise de água. Nós temos 1.873 carros pipa em Pernambuco, atuando sistematicamente.” Mas o objetivo, destacou a presidenta, é concluir as obras da integração e assim garantir que tenha água com segurança em Pernambuco e em todo o Nordeste. “E essa água com segurança é a água que não vai precisar dos carros pipas. É isso que nós queremos: é libertar a população dos carros-pipas.”

A estação tem capacidade de bombear a água do São Francisco por sete quilômetros, até o primeiro reservatório de Tucutú. Em seguida, a água correrá por quatro aquedutos até Terra Nova, segundo reservatório do Eixo Norte. Tucutú estará cheio em 39 dias, com a bomba em operação durante 16 horas diárias, cinco dias por semana. Após essa etapa, serão necessários mais 18 dias para encher o reservatório Terra Nova. Enquanto isso, as obras da segunda Estação de Bombeamento (EBI-2) do Eixo Norte estarão em fase de conclusão.

Com 6.836 trabalhadores, o Eixo Norte abrange a construção de 15 reservatórios, oito aquedutos, três túneis, canais, além das três estações elevatórias. A entrega faz parte da pré-operação da obra e testes são iniciados para verificação dessas estruturas, antes do recebimento definitivo das águas do rio. Nessa fase, além do funcionamento da EBI-1, são monitorados os sistemas elétricos e de telecomunicações, painéis, válvulas e motores, que compõem a estação elevatória.

Dilma reconhece momento difícil
São Paulo (AE) - A presidente Dilma Rousseff afirmou ontem,  em Cabrobó (PE), que o governo enfrenta dificuldades com o seu orçamento. Reconheceu as dificuldades e disse que não adianta tapar o sol com uma peneira, mas que seu governo está se esforçando para superar este momento difícil pelo qual passa a economia brasileira.

“Estamos passando por dificuldades e não vamos tapar o sol com a peneira, mas vamos superá-las”, disse. “Como vocês têm dificuldades nas suas casas com o orçamento, o governo federal também teve. E como vocês escolhem onde aplicar o dinheiro, o governo federal também, mas não vamos cortar os programas sociais”, ressaltou a presidente, durante cerimônia em que inaugurou a primeira Estação de Bombeamento (EBI-1) do Eixo Norte do Projeto de Integração do Rio São Francisco (PISF).

 “Vamos trabalhar todos os dias, porque não queremos mais que o nordestino tenha de sair do Nordeste. Queremos que todos tenham oportunidades, porque cada indivíduo é diferente, mas as oportunidades têm de ser iguais”, disse.


continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários