Diretoria atrasa repasse do Ato Trabalhista

Publicação: 2017-10-12 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
A crise financeira no ABC chegou a tal ponto que atingiu um dos pilares que protegia os cofres do clube contra as ações trabalhistas. Por atraso no repasse do Ato Trabalhista, o Alvinegro corre o risco de sofrer a penhora de alguns bens e cotas para quitação do pagamento dos casos transitado em julgado junto à Justiça Trabalhista. Advogados de ex-atletas e funcionários com contas a ajustar, deram entrada no TRT-RN, com reclamação pedindo a penhora do estádio Frasqueirão, dado como garantia para o pagamento dos seus clientes.

Léo Fortunato, Adriano Pardal e Lucas Coelho estão em transição
Léo Fortunato, Adriano Pardal e Lucas Coelho estão em transição

Segundo o pedido de penhora, faz quatro meses que a diretoria abecedista não realiza o repasse no valor de R$ 70 mil destinado ao cumprimento do Ato Trabalhista e, caso nenhuma providencia seja tomada nos próximos dias, o clube corre mesmo o risco de ter os seus bens penhorados visando a quitação dos valores devidos.

O advogado Alexandre Pinto, um dos responsáveis pela negociação do Ato, durante a administração do ex-presidente Rubens Guilherme, ressaltou que por regra, o juiz pode cancelar o benefício, mas existe a possibilidade de uma solução negociada no sentido de evitar que algum bem seja levado a penhora ou até o mesmo o próprio cancelamento do benefício.

“O interesse da Justiça nunca será de cancelar o benefício de imediato. Sempre estará aberto o caminho para negociação. Então se o ABC apresentar as razões do problema de atraso, conseguir comprovar que ele ocorreu devido ao problema de crise financeira, creio que o juiz responsável pelo caso possa flexibilizar a situação e fazer com que o clube regresse ao benefício apenas quitando as parcelas em atraso. Mas devemos sempre lembrar que tudo ficará a critério do juiz”, informou Alexandre Pinto.

Futebol
Visando a realização da partida de sábado, às 16h30, o ABC treina hoje na arena das Dunas. Ao contrário dos outros treinos realizados no palco do confronto contra o Boa Esporte, dessa vez o treinador Itamar Schulle optou por fazer os trabalhos com portões abertos para imprensa.

Há onze rodadas sem vencer na Série B e ameaçado de abreviar a expectativa sobre o rebaixamento nas próximas duas rodadas, em caso de derrotas, Schulle está trabalhando algumas opções táticas e não descarta montar a equipe para enfrentar os mineiros com três zagueiros.

O volante Felipe Guedes, livre da suspensão pelo terceiro cartão amarelo, deve retornar ao time titular. Os atacantes Adriano Pardal e Lucas Coelho, além do zagueiro Léo Fortunato, estão fora da partida.     


continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários