Diretoria cobra e ameaça com novas dispensas

Publicação: 2013-07-09 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Waldemar Lemos viu de perto a insatisfação dos abecedistasHá sete rodadas sem vencer na série B do Brasileiro e enfrentando o inconformismo da torcida com a condição da equipe na competição: último lugar com apenas dois pontos ganhos  acumulando cinco derrotas no período. O treinador Waldemar Lemos tenta erguer o moral do elenco, enquanto a diretoria sem paciência cobrou mais empenho dos atletas para tirar o clube dessa situação. Pedindo desculpas publicamente aos torcedores, o presidente Rubens Guilherme ameaça dispensar os jogadores que estiverem insatisfeitos e reprovou a atitude de Bombinha, que respondeu aos protestos dos torcedores após a derrota para o Atlético/GO, com gestos obscenos.

“Reprovo a atitude, é um desrespeito com os nossos torcedores e Bombinha será cobrado por isso”, quando a situação do clube, o dirigente disse que “ninguém foi condenado por nenhum juiz a jogar no ABC. Aqueles que não estiverem compromissados com os objetivos do clube ou estiverem insatisfeitos vão sair”.

A questão é que o resultado, combinado com os demais, vão exigir muito da equipe nas próximas rodadas, quando para deixar a zona de rebaixamento, além de vencer Palmeiras (em São Paulo), Joinville (Natal) e Paysandu (Natal), o clube potiguar terá de torcer para os insucessos de Guaratinguetá, América, Ceará e ASA. Logo, se nota que o plano de recuperação poderá se dar apenas em médio e longo prazos.

Na série B do ano passado, com a mesma quantidade de partidas de hoje, o ABC aparecia na 9ª posição, com 9 pontos ganhos (2 vitórias, 3 empates e 2 derrotas), o Barueri que estava exatamente na posição do alvinegro atualmente, acabou rebaixado com 30 pontos conquistados e 7 vitórias dentro da competição.

Recusa

O ex-presidente Judas Tadeu revelou que vem enfrentando problemas com a família, que não deseja mais vê-lo com um cargo diretivo no ABC. Ele disse que assim não terá como aceitar o convite feito por Rubens, para assumir a vice-presidência de patrimônio do clube. Tadeu revelou que, inicialmente, foi convidado pelo amigo Ferdinando Teixeira para ajudar no departamento de futebol.

“Não tenho condições de entrar para ajudar o futebol. Se entrasse como vice-presidente de patrimônio, não gostaria de resumir minha ação apenas a parte física do clube. Queria ter total controle sobre passes dos atletas, principalmente os das nossas bases, pois entendo que tudo isso é patrimônio do ABC”, disse.

Quanto ao transferência de Flávio Boaventura para o Náutico, a negociação ainda está em andamento. O problema, segundo o presidente Rubens Guilherme é que o time pernambucano não deseja realizar o pagamento da multa rescisória do jogador (R$ 300 mil), mas o vice de futebol Bira Marques vem tentando contornar a situação.

continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários