Diversidade pela noite

Publicação: 2018-05-25 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
A paulista de Garulhos, Sâmela Ramos está em Natal há sete anos. Estudante de Licenciatura em Música na UFRN, diz ter começado a cantar na noite por indicação de Dudu Galvão, que pediu para substituí-lo na Cozinharia quando ele precisou fazer uma viagem. Ela considera agradáveis as experiências vividas nessa atividade até agora.

Estudante de música da UFRN, Sâmela Ramos se destaca pelo vozeirão de jazz e blues
Estudante de música da UFRN, Sâmela Ramos se destaca pelo vozeirão de jazz e blues

Sobre o mercado de música na noite, ela vê como algo não tão simples. “É um pouco complicado, porque a pessoa precisa mostrar o trabalho dela, precisa convencer o dono do restaurante que o que faz é algo bem feito.” Sâmela se apresenta todas as quintas-feiras na Cozinharia e esporadicamente no La Bodega Bistrô, em Lagoa Nova. Seu repertório é formado basicamente por temas de jazz, blues, rhythm'n'blues e MPB de pegada mais jazzística e blueseira. “A musicalidade negra é o que eu canto.”

Não faltam opções diversas hoje na noite de Natal com relação à música ao vivo. O Bardallos Comida e Arte, na Cidade Alta, é uma das casas que mais privilegia os shows musicais. Nesta sexta-feira, o cantor Sérgio Preto canta Elino Julião, acompanhado de Lipe Guedes na sanfona e percuteria de  Wagner Tsé. No sábado, Ananda Krishna apresenta show autoral “Feitiçaria”.  Ambos a partir das 20h. Nas quintas-feiras, o DJ Samir comanda as picapes e apresenta um mix eletrônico, sempre com algum artista convidado. A casa também abre espaço para artistas mostrarem seus trabalhos autorais, onde a diversidade é a tônica principal.

Artista versátil, o ator teatral e cantor Dudu Galvão imprime elegância aos clássicos
Artista versátil, o ator teatral e cantor Dudu Galvão imprime elegância aos clássicos

Na Tapiocaria da Vó, em Ponta Negra, além das canções de Ângelo Angolano, a programação ainda reserva uma noite para o encontro de vários músicos de vários estilos, numa grande jam session. Já no Mormaço, há espaço para rodas de samba, duos instrumentais de jazz e MPB e dupla de blues e rock.

É checar as alternativas, fazer um roteiro e se entregar à atual fase de diversidade na música ao vivo natalense!  


continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários