Dnit inicia obras da BR-101 no gancho de Igapó

Publicação: 2019-09-14 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Uma das obras mais aguardadas dos últimos anos pelos moradores da zona Norte de Natal, a do gancho de Igapó está agora em processo de início dos trabalhos por parte do Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes (Dnit). Orçada em R$ 45 milhões, recursos do Ministério da Infraestrutura, a previsão de entrega é no final de 2021.

Trânsito no local, na maior parte do dia, é intenso. Previsão do Dnit para a entrega das obras é para o final de 2021
Trânsito no local, na maior parte do dia, é intenso. Previsão do Dnit para a entrega das obras é para o final de 2021

“A obra já está em execução. Já foram executadas as desapropriações, está sendo feita a demolição dos imóveis e está sendo construída agora a faixa marginal, que vai servir de desvio de tráfego quando precisarmos fechar a via principal da rodovia. Fizemos a pavimentação de algumas ruas que vão servir de desvio de tráfego”, explica a coordenadora de engenharia do Dnit, Thatiana Queiroga. Estima-se que 70 mil veículos por dia trafeguem pelo trecho.

O órgão espera que o fechamento principal da rodovia aconteça em novembro, fato que ainda não está concretizado em virtude de reuniões a serem feitas com autoridades, como as secretarias  de mobilidade de Natal e São Gonçalo do Amarante,  a Polícia Rodoviária Federal e interessados na obra. “Estamos estudando priorizar deixar uma faixa única de tráfego, onde é hoje a rodovia principal, para atender o transporte público, e estamos fazendo essas discussões”, disse.

A ideia do Dnit é que, uma vez as obras do viaduto sejam iniciadas, além da faixa marginal como rota de fuga para os veículos, o trânsito será desviado por três avenidas da zona Norte: a rua Santa Luzia no sentido Ceará-Mirim/Natal e a rua Henrique Dias para quem vem de Natal e busca os outros bairros da zona administrativa e Ceará-Mirim e adjacências. A rua Criciúma será utilizada como rota de fuga para quem busca São Gonçalo do Amarante e a avenida Benedito Santana para esta mesma rota contrária.

Quem espera por melhorias no trecho é o taxista João Batista, de 57 anos, que trabalha num supermercado próximo ao gancho. Ele comenta que em situações críticas, o trânsito fica “travado”.

“Tem horários que travam. Essa saída quando tá indo para o centro de Natal é uma complicação. Os ônibus param no Assaí (supermercado) e aí trava. Voltando de lá para cá é do mesmo jeito. A gente espera que melhore”, disse. Quem vai no mesmo raciocínio é o taxista Osmar Andrade, 70, profissional da área há 27 anos. Ele disse que depois da retirada de um retorno que tinha no trecho, a situação piorou. “Diminuiu até as corridas, porque o povo ia para o outro lado”. Sobre o gancho: “Acredito que vai melhorar o trânsito em 100%. A gente vai ter acesso às outras rodovias. Espero menos engarrafamentos”, completou.

Para tocar a obra, o Dnit precisou fazer uma série de desapropriações no trecho. Ao todo, 38 imóveis, entre residências e pontos comerciais, precisaram ser removidos para que a obra pudesse ser tocada. Esta parte do projeto custou R$ 9,3 milhões. A empresa que vai tocar a obra é a A. Gaspar/SA.

Do valor total do projeto, Thatiana explica que o Dnit conta com R$ 14 milhões em caixa. O restante do montante será pleiteado junto ao Governo Federal com o andamento da obra. Os trechos que compreendem o viaduto, túnel e sinalização vão custar R$ 33 milhões. O restante do valor é referente a gestão ambiental, desapropriações, supervisão de obras, entre outros itens.

Contratada pelo Dnit em 2014, a obra passou por uma série de pendências até o início de fato das atividades. Além das desapropriações, o órgão precisou fazer interferências na rede elétrica da Companhia de Energética do Rio Grande do Norte (Caern), além de dutos da Potigás.  Anteriormente, estimava-se que a obra seria entregue em 415 dias, segundo entrevista do ex-superintendente do Dnit, Willy Saldanha Filho. Agora, caso seja iniciada em novembro, a expectativa é para dezembro de 2021.

A obra
O projeto de readequações viárias do Gancho de Igapó é visto pelas autoridades como uma das saídas para melhorar o tráfego e a mobilidade urbana da zona Norte da capital.  Segundo o Dnit, serão construídos um viaduto e um túnel em formato Y, com extensão de 2,3 quilômetros. A ideia é melhorar o acesso ao Aeroporto Internacional Aluízio Alves, em São Gonçalo do Amarante, bem como os acessos à BR-406.

O viaduto será feito nas proximidades do supermercado Nordestão com uma rotatória logo abaixo da obra e um túnel, com entrada e saída na Avenida das Fronteiras, para quem busca São Gonçalo, e outro para quem se direciona ao Centro da capital e a Ponte de Igapó.

Números
38 imóveis entre residências e pontos comerciais precisaram ser removidos para a obra;

R$ 9,3 milhões é o valor pago para essas desapropriações;

R$ 45 milhões é o valor total da obra, de 2,3 km

70 mil veículos circulam por dia no trecho da obra, segundo o Dnit




continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários