Donald Trump volta a cogitar proibição de voos com o Brasil

Publicação: 2020-05-20 00:00:00
A+ A-
O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, informou que continua a avaliar a possibilidade de proibir voos com o Brasil. Durante entrevista a repórteres, ele foi questionado se considerava vetar os voos com o País e com a América Latina. "Nós consideramos isso. Esperamos que não tenhamos um problema", respondeu, lembrando em seguida que o governador da Flórida, um dos Estados americanos mais frequentados por brasileiros, tem reforçado os testes para evitar mais contaminações.

Créditos: EVAN VUCCI/ESTADÃO CONTEÚDODonald Trump informou que os EUA têm enviado respiradoresDonald Trump informou que os EUA têm enviado respiradores


"Eles estão tendo problemas", afirmou Trump, referindo-se aos brasileiros. "O Brasil está tendo alguns problemas, sem dúvida", notou. "Não quero pessoas vindo aqui contaminando nosso povo", disse ele. Além disso, informou que os EUA têm ajudado o País, com o envio de respiradores para tratar pacientes da covid-19.

Trump já havia mencionado anteriormente a possibilidade de vetar voos com o Brasil, para conter a disseminação na doença dos EUA. Em suas declarações, ele também disse considerar "por um lado positivo" o fato de que os EUA registram muitos casos, pois isso significa que o país tem realizado muitos testes e que estes são "muito bons". 

Medicamento 
Ontem, o presidente dos Estados Unidos também defendeu  o fato de que ele tem tomado hidroxicloroquina como remédio capaz de prevenir o novo coronavírus. "Acho que dá um nível adicional de segurança", comentou ele a repórteres, após reunião com senadores republicanos em Washington.

Trump disse que, em uma pesquisa na qual teve acesso, a hidroxicloroquina havia sido ministrada a "pessoas muito doentes quase mortas", o que para ele teria influenciado o resultado. Por outro lado, disse que há relatos de uso do medicamento por profissionais na linha de frente da batalha contra o vírus na Itália, na França e em outros lugares.

"Ela não machuca as pessoas, está no mercado há sessenta anos ou mais", disse ele, lembrando que o medicamento já é usado para outras doenças, como a malária. Algumas pesquisas recentes, porém, concluíram que a cloroquina e a hidroxicloroquina aumentam o risco de arritmias cardíacas e são ineficazes contra a covid-19.

Ontem, Trump afirmou que estava tomando um comprimido de hidroxicloroquina ao dia, havia uma semana e meia, mas que não tinha sintomas de coronavírus nem havia sido exposto à doença. Ele disse que tinha consultado um médico da Casa Branca sobre o assunto.





Deixe seu comentário!

Comentários