Duas cidades do RN com risco de surto

Publicação: 2011-12-29 00:00:00
Os municípios de Currais Novos e Mossoró foram classificadas pelo Ministério da Saúde no grupo de cidades com risco de surto de dengue. Outros três municípios monitorados (Caicó, Ceará-Mirim e São Miguel) estão em estado de alerta; e Natal – pela primeira vez em 12 anos - aparece no relatório com índice de infestação do mosquito Aedes aegypti menor que 1%, ou seja, satisfatório. Pau dos Ferros também está nesse mesmo grupo de Natal.
Cristiana Souto, diretora do Departamento de Vigilância à Saúde
Os dados colhidos através do LIRAa    - Levantamento de Índice Rápido de Infestação por Aedes aegypti - apresentado pelo Ministério da Saúde, atestam que a capital potiguar saiu da situação de risco na qual esteve inserida entre 1999 e 2011, para a categoria satisfatória, com percentual de infestação predial menor que 1%.

 Os percentuais, porém, dizem respeito ao último ciclo coletado entre os meses de outubro e novembro deste ano. Apesar da situação favorável ao Município, as ações de combate ao mosquito da dengue não serão reduzidas nos próximos meses, conforme garantiu a Secretaria Municipal de Saúde (SMS). O risco de uma epidemia com a inserção do sorotipo 4 da doença não está descartada, caso o trabalho de prevenção não seja mantido.

 A diminuição dos índices de infestação predial em Natal foi proporcionado pelo aumento do efetivo de agentes de endemias pelo Departamento de Vigilância à Saúde da SMS. Após o polêmico contrato de R$ 8 milhões para a terceirização das ações de combate ao mosquito ter sido cancelado pelo Município em abril deste ano, os 150 profissionais previamente contratos pelo Instituto de Tecnologia, Capacitação e Integração Social (ITCI), foram absorvidos pela Prefeitura de Natal, após recomendação da Promotoria de Defesa da Saúde.

 De acordo com o secretário do Sindicato dos Agentes de Endemias (Sindas), Cosmo Mariz, o aumento do efetivo foi de suma importância para a redução da quantidade de focos do mosquito nas residências e prédios comerciais. “Em 2011, pela primeira vez após muitos anos, nós conseguimos realizar cinco ciclos de visitas ao imóveis da capital. As visitas passaram a ocorrer a cada dois meses. Sem a mão de obra extra dos 150 agentes, nós só conseguíamos passar nas casas de três em três meses”, destacou Cosmo.

 Ele reiterou que a renovação do contrato temporário do atual efetivo extra e a realização de concurso público para a contratação de agentes de endemias, poderão garantir que a possibilidade de epidemia da dengue permaneça descartada nos próximos meses. “O número atual de agentes demonstra que a ampliação da mão de obra reflete em bons resultados. Existindo pessoal suficiente, os índices baixam”, alegou Cosmo Mariz.

 Ele ressaltou, contudo, que o LIRAa exibe dados colhidos no passado e que, nem sempre, se refletem no futuro. “É como um dado da área de segurança pública. Ontem, 10 pessoas foram assassinadas. Amanhã, 20 poderão ser assassinadas”. A comparação, segundo ele, é para ressaltar que as medidas adotadas pelo Município deverão ser mantidas para que os índices atuais permaneçam no futuro.

A diretora do Departamento de Vigilância à Saúde do Município, Cristiana Souto, garantiu que os 150 agentes contratados de forma temporária serão mantidos através da renovação do contrato de prestação de serviços. “Além disso, iremos trabalhar na abertura do edital para a realização do concurso que irá garantir a contratação efetiva pelo Município de 150 agentes de endemias”, ressaltou Cristiana. A expectativa da Secretaria Municipal de Saúde é de que o edital do concurso seja publicado no primeiro semestre do próximo ano.

Questionada sobre os recursos disponíveis para o desenvolvimento das ações de combate à Dengue para os próximos meses, Cristiana Souto afirmou que o Ministério da Saúde realizou um repasse extra de R$ 750 mil. Este valor será somado às verbas destinadas pela Prefeitura de Natal anualmente, através do Orçamento Geral do Município, para os trabalhos desenvolvidos na luta contra a doença. O valor do repasse municipal ainda não foi confirmado.

Cristiana Souto demonstrou preocupação quanto ao caso de Dengue Tipo-4 recentemente isolado em Natal. “Apesar de estarmos com os índices baixos, estamos preocupados com a inserção deste sorotipo”. O Tipo-4 foi identificado e isolado num  morador do bairro do Alecrim. O trabalho de combate ao mosquito foi intensificado nas Quintas, Felipe Camarão e Mãe Luíza, bairros com índices altos de infestação ao longo deste ano.

Leia também: