Duas pessoas morrem em um atentado em Jaçanã

Publicação: 2019-09-11 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Um homem e uma mulher morreram após um atentado a tiros na noite da última segunda-feira (9), em uma academia no centro da cidade de Jaçanã, a 150 quilômetros de Natal. O médico Cícero Edvaldo Nogueira Carvalho, 40 anos, é ex-candidato a vice-prefeito do município. A mulher foi identificada como Oleciandra da Silva, de 41 anos, empresária e proprietária do estabelecimento onde ocorreu o ataque. Os assassinos conseguiram fugir.

Segundo a Polícia Militar, os criminosos entraram na academia e realizaram vários disparos. Cícero Edvaldo ainda tentou fugir, mas acabou atingido ao menos oito vezes, e não resistiu. Oleciandra da Silva foi atingida por um disparo na região do tórax.

Cícero Edvaldo e Oleciandra da Silva eram pessoas conhecidas da cidade de Jaçanã, e por conta de suas mortes a prefeitura da cidade decretou luto oficial por três dias. De acordo com informações repassadas à Polícia Militar, quatro homens teriam chegado à academia em um Ford Ecosport, de cor branca. Encapuzados, entraram no estabelecimento e dirigiram-se em direção ao médico, que tentou escapar correndo em direção à janela.

Já atingido por vários tiros, Edvaldo pulou a janela e caiu sobre o telhado de uma farmácia vizinho à academia. Ele não resistiu aos ferimentos e morreu no local. O Corpo de Bombeiros foi acionado ao local para remover o cadáver.

O veículo do médico, que estava estacionado bem próximo ao prédio da academia, também foi atingido por vários disparos em um segundo momento da ação dos criminosos. O Ecosport usado pelo bando foi abandonado e queimado a alguns quilômetros da área urbana de Jaçanã. De acordo com a PM, há queixa de roubo desse veículo no estado da Paraíba. Na fuga, os homens espalharam grampos na pista para dificultar qualquer perseguição.

Cícero Edvaldo Nogueira Carvalho deixa três filhos e esposa. Oleciandra da Silva também tinha filhos e era casada. Até o fechamento desta reportagem, a Polícia não tinha pistas que pudessem levar aos executores, ou mesmo o que teria motivado a execução do médico, que foi perseguido dentro do prédio.




continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários